28/02/2010

Diversos

- Comida de rua pelo mundo afora (dica Rafael Pereira. Quem sabe eu não viro um Tyler Cowen da baixíssima gastronomia?)
- O Shikida está com o site novo do Easyreg
- As aulas de História Econômica Americana do Brad Delong.
- Filmaço: In Bruges. O filme que o Guy Ritchie sempre tentou fazer (mas nunca conseguiu.). Ah,"O Mensageiro" também é ótimo.

26/02/2010

Na colônia alemã de São Leopoldo (RS)....

"o primeiro código de postura (...)(1848) incluía uma cláusula, por exemplo, que proibia
aos senhores castigarem seus escravos após as 20 horas, no inverno, e 21 horas no verão, para não incomodar a vizinhança com os barulhos.
"
Apenas 24 anos depois de terem chegado ao Rio Grande do Sul, os colonos já se comportavam como os locais. (Ok, talvez um pouco mais preocupados com o barulho, mas igualmente cruéis). Cultura, como eu sempre digo, não importa.

24/02/2010

Aldo Musacchio na FEA/ USP

Renato Colistete apronta mais uma: traz o Aldo Musacchio para dar um mini-curso na FEA/USP. (Que pena que não poderei estar lá!):
“A Economia Politica do Desenvolvimento do Brasil”
Prof. Aldo Musacchio (Harvard University)
Dias: 8, 10 e 24 de março de 2010
Horário: 11h30
Local: FEA 1, sala A-3
Promoção: Departamento de Economia e Pós-Graduação em Economia, FEA/USP
Apoio: Reitoria USP
Informações: Secretaria da Coordenação de Pós-Graduação em Economia
Tel: 3091-6078/5886
Temas e Leituras
1. A Economia Política do Desenvolvimento nas Ex-Colônias Européias (8/3)
Acemoglu, Daron, Simon Johnson, and James Robinson (AJR). 2001. “The Colonial Origins of Comparative Development: An Empirical Investigation.” American Economic Review 91: 1369-
1401.
Engerman, Stanley L. and Kenneth L. Sokoloff. 2002. “Factor Endowments, Inequality, and Paths of Development among New World Economies” in Economía 3-1 (Fall): 41–109.
Engerman, Stanley L. and Kenneth L. Sokoloff. 2008. “Once Upon a Time in the Americas: Land and Immigration Policies in the New World.” Book manuscript, Harvard University, 2009.
2. Economia Politica do Desenvolvimento e Instituições Coloniais no Brasil (10/3)
Naritomi, Joana, Rodrigo R. Soares, and Julian J. Assunção. 2007. “Rent Seeking and the Unveiling of ‘De Facto’ Institutions: Development and Colonial Heritage Within Brazil.” NBER Working Paper 13545, October.
Sachs, Jeffrey, and Andrew Warner. 1995. “Natural Resource Abundance and Economic Growth” National Bureau for Economic Research (NBER) Working Paper 5398. Cambridge,
Massachusetts.
Martínez-Fritscher, André and Aldo Musacchio, “ Can Endowments Explain Regional Inequality? State Governments and the Provision of Public Goods in Brazil, 1889-1930” mimeo, Harvard
Business School, 2009.
Nunn, Nathan, "Slavery, Inequality, and Economic Development in the Americas: An Examination of the Engerman-Sokoloff Hypothesis," E. Helpman (ed.), Institutions and Economic Performance, 2008, Harvard University Press, pp. 148-180.
3. Educação e Desenvolvimento Econômico de Longo Prazo no Brasil (24/3)
Mariscal, Elisa and Kenneth L. Sokoloff. 2000. “Schooling, Suffrage, and the Persistence of Inequality in the Americas, 1800–1945. “ In Political Institutions and Economic Growth in Latin America: Essays in Policy, History, and Political Economy. Ed. Stephen Haber. Stanford, CA: Hoover Institution Press.
Martínez-Fritscher, André, Aldo Musacchio and Martina Viarengo. “The Great Leap Forward in Education in Brazil: The Political Economy of Education in Brazil, 1890-1940,” mimeo Harvard Business School, 2009.
Goldin, Claudia and Lawrence F. Katz, “The Race Between Education and Technology: The Evolution of U.S. Educational Wage Differentials, 1890 to 2005”, NBER Working Paper 12984,
2007.

23/02/2010

Patriotismo X Desenvolvimento Econômico

A relação entre patriotismo e desenvolvimento econômico é um U invertido.

22/02/2010

Natural Experiments of History- Não li e já gostei

Jared Diamond ("Armas, Germes e Aço") e James Robinson ("Reversal of Fortune" com Acemoglu e Johnson) editaram o livro que tem os grandes Haber e Nunn entre os autores. Vejam o índice:
1. Controlled Comparison and Polynesian Cultural Evolution
Patrick V. Kirch
2. Exploding Wests: Boom and Bust in Nineteenth-Century Settler Societies
James Belich
3. Politics, Banking, and Economic Development: Evidence from New World Economies
Stephen Haber
4. Intra-Island and Inter-Island Comparisons
Jared Diamond
5. Shackled to the Past: The Causes and Consequences of Africa's Slave Trades
Nathan Nunn
6. Colonial Land Tenure, Electoral Competition, and Public Goods in India
Abhijit Banerjee and Lakshmi Iyer
7. From Ancien Régime to Capitalism: The Spread of the French Revolution as a Natural Experiment
Daron Acemoglu, Davide Cantoni, Simon Johnson, and James A. Robinson
* Afterword: Using Comparative Methods in Studies of Human History
Jared Diamond and James A. Robinson

20/02/2010

VI Workshop da APDR Modelos Operacionais de Economia Regional

Aqui.

Inveja da física

"Any scientist who doesn’t have physics envy is an idiot."

J.M. Epstein in REMARKS ON THE FOUNDATIONS OF AGENT-BASED
GENERATIVE SOCIAL SCIENCE. (Valeu, Bernardo Furtado)

18/02/2010

I Seminário sobre Câmbio: do padrão ouro aos dias atuais

Recomendo fortemente:
"Chamada de trabalhos - I Seminário sobre Câmbio: do padrão ouro aos dias atuais
A Revista História e Economia, do Instituto de História e Economia da Brazilian Business School, promoverá o I Seminário sobre Câmbio: do padrão ouro aos dias atuais
O tema do Seminário abrangerá as questões cambiais em suas diversas formas, ou seja, as políticas estatais de controle, a influência econômica e política da taxa de câmbio ou qualquer outra variável que analise a história cambial no Brasil, nos seus diferentes momentos.
A conferência de abertura será realizada pelo Professor-Doutor Renato Marcondes (FEA-USP Riberão Preto) e a conferência de encerramento pelo Professor-Doutor Gustavo Franco (PUC-Rio de Janeiro). Os debatedores dos simpósios serão os Professores-Doutores Pedro Mello (ESALQ), Flávio Saes (FEA -USP), John Schulz (BBS).
O Seminário ocorrerá no dia 27 de agosto de 2010 e após o evento, os trabalhos serão publicados na Revista História e Economia.
Os artigos devem ter entre 15 e 30 laudas. O tempo de exposição do Seminário será de 20 minutos por apresentação. Serão escolhidos seis trabalhos, que serão apresentados em dois painéis, separados pela sua temporalidade histórica. O primeiro abarcará desde a colônia até 1945 e o segundo painel abordará o período subseqüente até os dias atuais. A escolha dos artigos será realizada separadamente por painel.
O prazo máximo de envio das comunicações será até o dia 30 de maio de 2010, para o e-mail revistahistoriaeconomia@gmail.com ou pelo correio, para o endereço Alameda Santos, nº. 745, 1º andar, São Paulo, São Paulo Cep: 01419-001, aos cuidados de Rafael Zappia.
A revista História e Economia promove a publicação de artigos nas áreas de História Econômica, História Financeira e História das idéias políticas. Os artigos publicados na Revista e outras informações sobre a BBS e o Seminário poderão ser realizadas através do site http://www.bbs.edu.br/institutobbs.asp
Atenciosamente

Conselho Editorial da Revista História e Economia"


Vejam que bela lista palestrantes e debatedores!

Uma lei do desenvolvimento econômico.

Lugares com água potável não têm crianças de rua.

Reformulando:

Lugares nos quais os cidadãos confiam que a água é potável não têm crianças de rua.

11/02/2010

Especial para os Cariocas

A evolução da ocupação do município do Rio de Janeiro. Clique em Mapas-> Rio 500 anos e veja as mudanças pelas quais algumas áreas passsaram. A cidade é um aterro só! (Dica do Erivelton Guedes)

09/02/2010

Fogel, a Teoria do Crescimento Econômico e a Ásia

Eu comi mosca e perdi a divulgação do paper inicial. Agora ele fornece explicações adicionais. Vai para o topo da minha lista de leitura.

08/02/2010

Ovos de duas gemas e a crise financeira

As chances de um ovo ter duas gemas é de uma em mil. Quais são as chances de que todos os ovos de uma caixa com seis virem com duas gemas?
Tim Harford responde e explica a relação do enigma com a crise financeira. Brilhante.

07/02/2010

Filmes novos

Por fim, uma dica: como assistir The Office e Daily Show fora dos EUA.

05/02/2010

Netbook e Windows 7 *

O meu novo Netbook veio com Windows 7 Home Premium e 1 GB de memória. Eu pensei que teria que instalar o Ubuntu para o pobre funcionar, mas, por incrível que pareça, ele roda em uma velocidade bem aceitável. Tomara que ele não tenha aquela indolência crescente peculiar das coisas da microsoft.
*Sim, esse post só foi feito para eu exibir o meu Lenovo S10-3t.

04/02/2010

Bizarrices chinesas

Evidência 1- A tulipa de lá é o alho:
China's latest commodity boom: The price also stinks | The Economist: "According to reports in China Business News, prices in Jinxiang, China’s garlic-growing capital, have seen a fortyfold increase since March. Further down the supply chain, garlic prices have jumped tenfold on wholesale markets in big cities and fourfold nationwide. That compares with a meagre doubling in the price of copper this year and a 77% increase in the Shanghai stockmarket."

Evidência 2- A cidade fantasma (via Marginal Revolution).

02/02/2010

De volta ao trabalho...

em Brasília.

Blog novo na praça

Nelson Seixas dos Santos criou o Economia Aberta. O Nelson, grande figura, é um desses tarados que acha o Mas-Colell um livro acessível e sempre confere cada passagem dos anexos matemáticos dos papers. Bem-vindo à blogosfera!

01/02/2010

Mao estava certo: a revolução veio do campo (mas o sentido era outro)

Se os autores estão corretos, muito da história recente da China tem que ser reescrita:
Deng Xiaoping and his supporters, contrary to popular legend, did not agree on a reform program at the Third Plenum of the Eighth Party Congress in 1978, which installed him in power. A Chinese reform official by the name of Bao Tong later admitted as much: “In fact, reform wasn’t discussed. Reform wasn’t listed on the agenda, nor was it mentioned in the work reports.” (...)
Throughout the reform process, the Chinese Communist Party simply reacted to (and wisely did not oppose) bottom-up reform initiatives that emanated largely from the rural population. (...)
Private business originated in agriculture, spread to the cities, and then returned to the countryside as rural-based industry. Many large private manufacturing firms developed in predominantly agricultural provinces (Zhejiang, Shandong, Guangdong, Hunan, and Sichuan).
O livro com o argumento completo está aqui.

Diversos

Fiquei mais de um mês sem acesso ao blog e aos comentários. Estou colocando a vida digital em dia, mas adianto alguns avisos que recebi neste intervalo:
-O Liderau avisa sobre o concurso para economista da Fundação de Economia e Estatística do RS;
-Número novo da ótima Economics & Human Biology;
-Boletim novo da turma do Núcleo de História Demongráfica da USP;
-Tenho milhares de posts acumulados para ler, mas adianto que o blog A Mão Visível que já era muito bom, ficou imperdível depois da entrada em campo do "O" Anônimo. Dá até vontade de estudar macro.(Eu fiquei quietinho e a vontade passou).
-Um pedido pessoal: alguém tem o e-mail do grande professor Pedro Bandeira? Eu acho que ele se aposentou da Economia da UFRGS e as minhas mensagens para sua conta lá têm voltado.