Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2013

Produção recente em Economia Regional e o XI Enaber

Este ano fui um dos pareceristas da Anpec na área de Regional e Urbana. Foram 50 trabalhos e tivemos que escolher 18 (número indicado pela organização). Tirando um ou dois artigos aberrantes, a qualidade foi muito boa mesmo.
O que mais me impressionou, contudo, foi o volume de artigos sobre avaliação de impacto que usaram os métodos típicos da microeconometria (PSM, diff-in-diff, descontinuidade, essas coisas). Impressionante o quão rápido as novas gerações se apropriaram do instrumental. Os métodos tradicionais não foram excluídos- e nem deveriam ser - mas as novas ferramentas são mais do que bem-vindas para revitalizar a área.
Ainda sobre congressos: a Economia Regional tem, sem dúvida, o melhor papo de todas as áreas da Economia no Brasil. Não sei o porquê. Talvez, por sorte, os grandes nomes fundadores sejam gente muito boa, ótimos de conversa e atraiam outros caras legais para o campo. (Não me digam que é porque trata-se de um área de baixo status relativo e pequena. Existem áre…

Gary Becker X Lei Maria da Penha

Preços relativos importam. Quer no mercado de bens, quer nos crimes. A Lei Maria da Penha aumentou o custo de agredir uma mulher, mas não o de matar uma mulher. Acrescente a isso o fato de que um mulher assassinada é uma testemunha à menos de agressão e pronto:  a taxa de feminicídios ficou estável ou até aumentou. Enfim, como Tio Becker já sabia, até covardes e doidos respondem à curva de demanda.
O próprio estudo e a CPMI sobre o assunto concordam com a solução: tornar o feminicídio agravante nos casos de homicídio.

Deu no Granma: Cuba com mais jeitão chinês

Eu já tinha ouvido que o plano do Raul Castro é seguir modelo chinês. Dizem também que o complexo turístico-all-inclusive-enche-o-bucho-e-a-cara-em-hotelões-de-rede-internacional de Varadero é seu projeto pessoal. (Faz quase uma década, eu conheci o sucesso do lugar com este fígado cansado que a terra há de comer). Agora parece que a mudança é mais profunda. Acabaram de legalizar a criação da Zona Especial de Desarrollo Mariel. Nas palavras do Granma:
"en dicha Zona se pondrán en práctica políticas especiales, con el objetivo de fomentar el desarrollo económico sostenible estimulando la inversión extranjera y nacional, la innovación tecnológica y la concentración industrial." O Porto de Mariel já recebeu uma grana boa do BNDES e a Odebrecht toca a obra. Sem o Fidel para trazer insegurança, é provável que dê certo. Por "certo", entenda-se: ganhos de bem-estar para os cubanos, mas concentrados em certos amigos da revolução.

Minha lista de leitura de Economia Brasileira

...para a turma do doutorado da UCB. Pessoal, tendenciosa e incompleta. Aceito sugestões. Parte 0: IntroduçãoPreâmbulo:História como o laboratório da EconomiaCliometria versus abordagem tradicionalA visão adquirida da economia brasileiraSéries históricas da Economia Brasileira·REIS, E. et al. O Século XX nas contas nacionais. Estatísticas do século XX, 2002. ·LEFF, N. H. Subdesenvolvimento e desenvolvimento no Brasil. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1991. 2 v.Parte I: Temas clássicos da Economia BrasileiraAbordagem econômica da escravidão no Brasil·MELLO, P. C. de. Aspectos econômicos da organização do trabalho na economia cafeeira do Rio de Janeiro. 1850-1888. Revista Brasileira de Economia, v. 32, n. 1, p. 43-67, 1978.·MELLO; SLENES, R. W. Análise Econômica da Escravidão do Brasil. In: Economia brasileira: uma visão histórica. Rio de Janeiro: Campus, 1980. p. 411. ·MONASTERIO. FHC errou? A economia da escravidão no Brasil Meridional. História e Economia Revista Interdisciplina…

A distribuição da população mundial

Se o mundo fosse dividido em territórios de 10 milhões de pessoas:

Mais aqui.

Porém, para enfatizar a concentração da população mundial vale a pena lembrar outro mapa mais impressionante:

Diversos links ótimos

Pobres, tecnologia e diversão;Não é uma boa idéia ser nômade digital. Ou seja, espaço importa;Heckman sobre educação infantil e desigualdade;Vinícius e João M P de Mello detonam o leilão da BR-262;Bohemian Gravity: o vídeo é péssimo, mas a letra é melhor que a original (e tão incompreensível quanto, face à minha ignorância). A propósito, o cover do Muppets deveria ter sido enviado na Voyager para mostrar o melhor que a humanidade já fez. Fonte dos links: múltiplas. Perdi o controle.

Como questionar pesquisas das quais você não gosta

Minha homenagem (atrasada) ao 7 de setembro, com auxílio do Google Autocomplete

Dúvidas dos estrangeiros sobre os brasileiros:
(Como sou ignorante em futebol, eu não tinha entendido a do "one name".)

Poderia ser pior:

Ou terrivelmente pior:
Fonte: eu mesmo usando o Safari. Não funciona no Chrome. Roubei a ideia daqui.

Quando vierem te falar de desindustrialização, saque dois belos textos:

Regis Bonelli e Samuel Pessoa Desindustrialização no Brasil: Um Resumo da Evidência (Olha que eles fizeram o trabalho a pedido da CNI!)
"Em suma, a evidência passada não autoriza diagnosticar a existência de um processo de desindustrialização no Brasil. Na verdade, até a década de 1980 a estrutura econômica brasileira impulsionada pela substituição de importações foi viesada em favor da indústria. As perdas de participação observadas em fases específicas do desenvolvimento brasileiro depois daí foram devidas principalmente à instabilidade macroeconômica, à liberalização comercial (que em parte corrigiu um padrão de alocação de recursos que se traduzia em estagnação) e, não menos importante, em mudanças estruturais operando a longo prazo na economia global."
Gabriel Squeff Desindustrialização: Luzes e Sombras no Debate Brasileiro (O Gabriel, mesmo simpático às teses kaldorianas, olhou os dados com notável rigor e imparcialidade)
"...a redução da indústria como proporção d…

Resumo dos últimos dias

Drunkeynesian no Estadão. Parabéns!Schwartsman limado do Valor. Baita absurdo. Azar do Valor.Breaking news: em breve, o ótimo Urban Demographics mudará de sede física. Parabéns e continue bloggando!Jaélio X Waldomiro . (A propósito, apesar de desconfiar de uns nomes, eu não sei quem são).Shikida vai concorrer com a MR University.Ah, o Coase morreu. Todos já disseram tudo sobre suas geniais sacadas. Bem, quase tudo. Esqueceram de comentar que ele, em 1937,  criticou o modelo teia de aranha usando o preço dos leitõezinhos. Brilhante.

Rouanet, Prestes, Olavo de Carvalho e eu

Senta que lá vem a estória: era o ano da graça de 2002 ou 2003. Sabe-se lá o porquê, eu fui chamado para um debate sobre Economia da Cultura com o Olavo de Carvalho e o Luis Carlos Prestes Filho na PUC-RS. Eu, admirador do jerry-springer, wilton-franco, jacinto-figueira-júnior, et caterva, aceitei."Vai ser ótimo. Vai rolar um telecatch entre os dois! Jerry! Jerry!"
Para minha decepção, ambos se trataram muito bem. Gentileza inglesa. Paciência japonesa. (Ou será o contrário?). Nenhum palavrão. Nada de sangue. Nada. Enfim, o clima foi amistoso, quase amoroso.
Eu vim com o meu papinho de que Lei Rouanet é um horror, porque é regressiva, ineficiente e uma porta aberta para rent-seeking e umseteuns. A solução para incentivar a cultura seria um sistema de vouchers, tal como o proposto por Baumol e Bowen. Para minha surpresa, Olavo e Prestes Filho gostaram da idéia e a noite (era noite?) terminou bem chocha.
Hoje: nada mudou. Desfiles de moda, o tal fora do eixo, e um monte de out…

Daniel da Mata ganha o Epainos Award 2013

O Daniel da Mata levou o prêmio de melhor paper de jovem cientista no Congresso da ERSA em Palermo. Parabéns!
Com a volta do Daniel ao Ipea, o hotspot universal de prêmios Epainos ficará a apenas 20 metros de mim. Afinal, o Guilherme Resende ganhou um Epainos em 2009. Tomara que eu me beneficie do transbordamento do conhecimento.