22/02/2017

Arrow e a história econômica

O artigo se chama "Maine and Texas". Em resumo, a história econômica teria ao menos dois usos para a Economia. Um que todo mundo sabe e outro mais sutil:

  • Testar teorias;
  • Mostrar em que condições a teoria é válida.

Vale também o alerta que a aplicação da teoria econômica à história corre o risco de achatar o passado, mostrando-o como "merely a playing out of a well-defined script". 

21/02/2017

Razão de masculinidade no mundo e nos estados brasileiros

Esse ótimo post mostra como fazer o gráfico do número de homens por mulher a cada idade por país. Fica bem claro que nascem mais homens do que mulheres e que tal taxa despenca na 3a idade. Também me chamou atenção como essa queda ocorre  mais cedo nos países ex-comunistas. Vodka e cigarros devem ser os responsáveis.


No Twitter, perguntei se alguém tinha um gráfico desses para o Brasil. O Rodrigo Godoy Conejo (@RodrigoGConejo) fez os belos gráficos abaixo. Legal ver como ainda há estados na Região Norte com perfil demográfico de regiões de fronteira, ie com mais homens do que mulheres em idade ativa.
A aumento recente da violência no Nordeste cobrou seu preço: a taxa cai bem mais rápido em Alagoas e no Ceará.
Eu só não tenho ideia do que acontece no DF. (A taxa de homicídios não é tão alta -para o padrão brasileiro-,  mas será que o setor público atrai um número extraordinário de mulheres?)



15/02/2017

Sorte, mérito, igualdade e tudo mais

Ótimo artigo do Irineu de Carvalho Filho na coluna Por quê da Folha (eu nem sabia que ele escrevia lá!).
Os sem-folha podem (mas não devem!) usar este link.
No mesmo assunto, eu aproveito para recomendar o Up Series. São documentários que acompanham um grupo de crianças inglesas das mais diversas classes desde 1964, em intervalos de 7 anos. Lá fica clara a importância da origem, do mérito  e da sorte (ou melhor, do azar) nos destinos individuais.

10/02/2017

Entrevista do Friedman sobre Metodologia

Aqui. Coisa fina, bastante sincera e com direito a muitas fofocas.
Vale a pena ler tudo, mas uma das melhores passagens é a sua crítica ao Mises e cia.


09/02/2017

Has Latin American Inequality Changed Direction? Looking Over the Long Run

Editado por Bértola e Williamson, o livro da Springer está disponível para download gratuito e será a minha leitura de final de semana!
Não conheço a maior parte dos trabalhos e autores, mas destaco - entre os brasileiros- o grande mestre Eustáquio Reis e o Pedro Funari, da novíssima geração. Na verdade, tudo parece muito bacana.
(via @pseudoerasmus, melhor @ e blog de história econômica em atividade)