São Paulo cresce mais do que a média, mas perde participação no PIB nacional

É, a notícia é essa mesmo. Ué? Como pode? O negócio é o seguinte: as taxas de crescimento são calculadas a partir das variações dos índices de volume entre 2007 e 2008, enquanto a participação do estado no PIB nacional considera os preços de 2008. Se os preços dos bens em que a economia paulista é especializada crescem mais lentamente que os demais, é bem possível que aconteça o fenômeno descrito no título do post.
Agradeço ao meu colega Miguel Matteo pela explicação. (Antes de ir para o IPEA, ele era o cara que fechava o PIB de SP pela fundação SEADE. Sabe tudo do negócio.)

4 comentários:

Anônimo disse...

Leonardo,

Qual a sua visão sobre a convergência das grandes regiões e Estados brasileiros?

De 1995 a 2002, houve uma certa convergência, com o sudeste perdendo participação para o nordeste e centro-oeste, mas esse processo praticamente se interrompeu.

Há ou não há convergência?

Leonardo Monasterio disse...

Beta ou sigma? Absoluta ou condicional?... Xi.. o negocio eh tao complicado...
Eu vou postar uma grafico do indice de theil 1995-2008 que eu acabei de preparar aqui.

Anônimo disse...

Bom, já que você quis complicar:

1. Estamos tratando de regiões de um mesmo país, então não sei se faz muito sentido falar em convergência absoluta ou condicional.

2. Beta-convergência, acho que pela pergunta dava pra notar que eu queria saber pq a velocidade diminui/estagnou.

Na verdade, beta-convergência tende a gerar sigma- onvergência, mas acho que o meu ponto agora ficou mais claro.

Estou esperando o gráfico.
Valeu

Leonardo Monasterio disse...

Eu nao quis complicar nao... eh que a pergunta eh complicada mesmo. Eu estou fazendo um texto mais completo que deve sair no boletim da minha diretoria.

Tecnologia do Blogger.