16/04/15

O Brasil é um país fechado

...mesmo controlando para sua área, PIB, população, indústria e até quando comparado com os demais da América Latina.

The Curious Case of Brazil’s Closedness to Trade
Otaviano Canuto
Cornelius Fleischhaker
Philip Schellekens

Abstract
Although Brazil has become one of the largest economies in the world, it remains among the most closed economies as measured by the share of exports and imports in gross domestic product. This feature cannot be explained simply by the size of Brazil’s economy. Rather, it is due to an economic structure reliant on domestic value chain integration as opposed to participation in global production networking. It also reflects more generally an export base that shows lack of dynamism. Opening up and moving toward integration into global value chains could produce efficiency gains and help Brazil address its productivity and competitiveness challenges.

XI Congresso Brasileiro de História Econômica - Vitória

15/04/15

Temístocles e o boom de recursos naturais 500 A.C

Conta Heródoto que, tendo encontrado as minas de prata de Lavrio, os atenienses queriam distribuir 10 dracmas por cidadão. Temístocles, mais sábio, sugeriu usar os recursos para montar a frota que se mostrou essencial para o futuro dos gregos.

 

Agradeço ao grande mestre Gabriel Porcile por me incentivar a ler o Heródoto.

13/04/15

Um restaurante indiano de verdade em Brasília

É um verdade universalmente reconhecida que um restaurante indiano torna a existência mais suportável. Felizmente, agora Brasília tem um que não faz feio. É o Taj Mahal. O dono/cozinheiro veio de Kerala- aquela província famosa pro pessoal de Desenvolvimento-  direto para cá (sei lá o porquê).
O nome é clichê, o cardápio também tem só o basicão, mas é suficiente para consolar a alma. São cardápios fechados  (entre uns 35 e 50 reais) com salada, samosas, curry e a sobremesa (eu, que nem gosto de gulab jamun, adorei o servido lá). O lassi também estava excelente, nada daquele iogurte aguado que servem por aí.
Fica longe (uns 30 minutos do Plano Piloto) dentro de um lugar meio de Humanas chamado Aldeia da Terra,  mas vale muito a viagem. Dicas:
- Eu acho que precisa reservar. Eles entendem português básico; talvez seja melhor falar inglês;
- Eles já se adaptaram e pegam leve na pimenta. Mas dá para pedir realmente spicy;
- A água e o  masala tchai, bem bom, estão incluídos na refeição;
- Não aceitam cartão de crédito ou débito.

10/04/15

Carta de Economia e Negócios - divulgação e chamada de trabalhos


Está no ar o número mais recente da Carta de Economia e Negócios da UCB. Eu realmente acho que os textos estão muito legais mesmo, com autores de primeira linha, tratando de temas muito relevantes:
  • Os suspeitos de sempre 
    • Alexandre Schwartsman, Henrique L Daniel;
  • O que é “contabilidade criativa”?
    • Marcos Mendel;
  • Como evitar jogos de planilha em licitações de obras no Brasil?
    • Angelo Miguel de Barros.
Aproveite que você já está lá e também veja  número anterior, também bacana:
  • Eficiência do Setor Bancário Público Brasileiro no Período Recente: 2008-2013
    •  Fernando da Silva Vinhado
  • Por que os gastos com seguro-desemprego crescem?
    • Sérgio Ricardo de Brito Gadelha
  • Os níveis de renda dos assentados da agricultura familiar no Mato Grosso do Sul
    • Catarina Oliveira Guimarães Barcelos, Carlos Vinícius Santos Reis
A ideia é publicar textos mais longos e sofisticados do que artigos de jornal, mas mais curtos e menos detalhados um paper acadêmico. Temas de conjuntura econômica são preferidos.
Submeta o seu trabalho aqui. Agradeço aos autores e à equipe da UCB que me ajudou na edição.




08/04/15

Obama >>> Fidel

Em uma pesquisa de opinião em Cuba e mais um monte de resultados interessantes.

Terceirização e a Teoria da Firma

Todo mundo tem meia dúzia de artigos que mudam o jeito de ver o mundo. Na minha lista está  Production, Information Costs and Organization (1972) do Alchian e Demsetz (14 mil citações no Google Scholar. Para eles, a firma seria uma ficção legal, uma parte que centraliza vários contratos com agentes que contribuem para o produto final. Da mesma forma que ela compra dos seus fornecedores, também compra serviços dos empregados e mesmo dos seus diretores. (Ok, eles exageram um pouco nas metáforas e em alguns pontos, mas tem um tanto de verdade.)
Não faz sentido limitar a terceirização à atividade-fim da firma. Afinal, tudo seria meio que terceirizado e também a noção de atividade-fim fica difusa. Hoje, uma corporação contrata de outras firmas desde o design, até o suporte pós-venda, passando pela fabricação. Mesmo políticas de fixação de preço já são terceirizadas. 
Um exemplo: quem é que faz um PC da Dell? Não é exatamente a Dell; ela apenas coordenou a produção. Sua atividade-fim não é produzir PCs do início ao fim e sim organizar dezenas de milhares de contratos. Se fosse proibido à Dell terceirizar, ela teria que ser como uma Ford, que chegou a ser dona até das plantações de borracha natural para os seus carros.

Urgente! Precisamos de um mapa desses para o Brasil

Será preciso usar as novelas da Globo, eu acho.
xkcd

07/04/15

Chamada de trabalhos sobre Economia da Inovação na RBEE

Aqui. Data limite de submissão: 31 de Maio.
[Atualização: link consertado]

"A vida entre os econs": uma ideia para podcast

Baseado no ótimo texto antropológico-satírico do "Life among the econs" (1973), a ideia seria entrevistar um integrante de cada sub-tribo dos economistas por programa. Um dia seria com o pessoal de Economia de -sei lá - da Saúde, no outro, os austríacos, na sequência, os caras de DSGE e assim por diante.
O representante de cada tribo responderia perguntas de antropólogo como: "Qual o mito de criação da tribo?"; "Quem são seus líderes?"; "Qual a função dos anciãos?;"Há totens?" entre outras
O Econtalk faz um pouco disso, mas leva tudo muito a serio. Eu acho que o tom antropólogo fajuto seria mais relaxado e, no fim das contas, mais realista.

06/04/15

Quais eram os países de renda per capita média e média alta em 1957?

Cuba no mesmo grupo do Japão; e a Venezuela junto com  Dinamarca e  Reino Unido.

O Brasil estaa na média baixa, junto com Portugal e Espanha.
Fonte: North, Douglass. Growth and Welfare in the American Past. 1966. p. 5. (Os valores não são em PPP.)

Por que as crianças indianas são tão baixas?

Eu li o título do paper e respondi mentalmente: "ora bolas, porque elas são pobres". Porém, descubro um problema bem pior. Elas são mais baixas do que as crianças igualmente pobres de outros países. E o motivo é o favorecimento os primogênitos e dos meninos. Muito triste.
Why Are Indian Children So Short? 
Seema Jayachandran and Rohini Pande  
India's child stunting rate is among the highest in the world, exceeding that of many poorer African countries. In this paper, we analyze data for over 174,000 Indian and Sub-Saharan African children to show that Indian firstborns are taller than African firstborns; the Indian height disadvantage emerges with the second child and then increases with birth order. This pattern persists when we compare height between siblings, and also holds for health inputs such as vaccinations. Three patterns in the data indicate that India's culture of eldest son preference plays a key role in explaining the steeper birth order gradient among Indian children and, consequently, the overall height deficit. First, the Indian firstborn height advantage only exists for sons. Second, an Indian son with an older sibling is taller than his African counterpart if and only if he is the eldest son. Third, the India-Africa height deficit is largest for daughters with no older brothers, which reflects that fact that their families are those most likely to exceed their desired fertility in order to have a son.

05/04/15

Só podcasts (muito off-topic)