Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2008

Gerschenkron

Nos 9 dias off-line (um recorde pessoal!) eu pude ler com calma
The Fly Swatter: How My Grandfather Made His Way in the World, a biografia do Alexander Gerschenkron escrita pelo neto. É muito, muito bom mesmo. A começar pela capa: um retrato do biografado feito pelo Leontief.
Vou postar umas frases e causos nos próximos dias. Só para ficar nas fofocas com artistas, adianto que ele jogou xadrez (e perdeu de lavada) para o Marcel Duchamp e era tão odiado pelo Nabokov que este criou um personagem para debochá-lo.

An Historical Perspective on the Crisis of 2007-2008

Para quem acha que o mundo acabou/acabará, Michel Bordo lembra:
"This paper provides an historical perspective on the crisis of 2007-2008. The crisis is part of a perennial pattern. It has echoes in earlier big international financial crises which were triggered by events in the U.S. financial system. Examples include the crises of 1857, 1893 1907 and 1929-33. This crisis has many similarities to those of the past but also some important modern twists."

Ciência, a Crise Financeira e Paul Romer

Paul Romer:
"...after Citibank made some bets that turned out badly in the Latin American debt crisis of the 1980s, its CEO John Reed helped mid-wife the Economics Program at the Santa Fe Institute. He wanted the new theoretical insights about financial crises that the new complexity scientists promised. Ever since, the complexity scientists have been telling us that markets are self-organizing systems. For the life of me, I can't see how this puts us way ahead. Didn't seem to help Citibank either, which I've noticed is back in the headlines.
(...)
I agree with the closing suggestion, that air transport is a good place to look for lessons about avoiding crashes. No matter what we do, we will still have financial crises, just as we still have plane crashes. But judging from our success in making air travel safer, it seems reasonable to bet on an institutionalized commitment to systematic data collection as a way to reduce their frequency and severity. As a traveler and an…

Ideapad S10 e Ubuntu Netbook Remix

Faz um mês que sou um feliz proprietário de um Lenovo Ideapad S10. Leve, bonito, pequeno e rápido. Os únicos problemas são insuperáveis: o tamanho da tela e o teclado que só é adequado para smurfs.
Como veio com o Windows XP eu ainda demorei um pouco para instalar o Ubuntu. Ontem, tive tempo e instalei o Ubuntu Netbook Remix, ou seja, o Ubuntu para computadores minúsculos. Fica perfeito e ameniza muito as limitações da tela.

Novo Mestrado Acadêmico em Economia na UFPel

Parabéns aos colegas do Departamento e das Ciências Sociais Agrárias!
O Departamento de Economia tem o prazer de informar que a CAPES aprovou o Mestrado em Economia do Departamento de Economia da UFPel. O Mestrado na área de Mercados e Organizações possui parceria com o Departamento de Ciências Sociais Agrárias e duas linhas de pesquisa: mercado & organizações e cadeias agroindustriais.

O Mestrado terá início em 2009 e o processo de seleção será amplamente divulgado na imprensa e no site.

Parabéns a todos!!

André Carraro

O papel do jornalismo econômico

Qual é o papel do jornalismo científico? Essa é fácil. Traduzir o conhecimento dos cientistas para o leitor inteligente não-especializado. Nada mais nobre.Qual é o papel do jornalismo econômico?  Deveria ser traduzir o conhecimento dos economistas para o leitor inteligente não-especializado. Traduzir.  Esta é a palavra-chave.  A tradução envolve conhecer as duas línguas.  Lembrei disso quando me toquei que o Tim Harford  age como um jornalista econômico ideal. Mesmo (ou talvez "Por ser") doutor em Economia por Oxford, ele não sai por aí criando teses: ele recorre à teoria e aos especialistas das áreas. No Brasil, temos os "jornalistas econômicos", deliberadamente ignorantes de Economia, que criam suas próprias explicações equivocadas e polemizam com os profissionais de verdade. Imagine um jornalista de ciência que fizesse o mesmo: "Os professores Watson e Crick dizem que a estrutura do DNA tem uma forma de dupla hélice. Mas eu olhei bem atentamente o meu dedão …

More or Less

Tim Harford, o meu escritor predileto de livros de divulgação de Econonomia, apresenta uma nova série sobre matemática e estatística na melhor rádio do mundo.

Industrialização antes de 1930

Ou..."Was It Prices, Productivity or Policy? The Timing and Pace of Latin American Industrialization after 1870" por Jeffrey Williamson e Aurora Gómez Galvarriato.

Brazil, Mexico and a few other Latin American republics enjoyed faster industrialization after 1870 than did the rest of Latin America and even faster than the rest of the poor periphery (except East Asia). How much of this economic performance was due to more accommodating institutions and greater political stability, changes that would have facilitated greater technology transfer and accumulation? That is, how much to changing fundamentals? How much instead to a cessation in the secular rise in the net barter terms of trade which reversed de-industrialization forces, thus favoring manufacturing? How much instead to cheaper foodstuffs coming from more open commercial policies ('grain invasions'), and from railroad-induced integration of domestic grain markets, serving to keep urban grain prices and thus no…

Duas frases

O livro
é apenas legal, mas tem duas frases especialmente boas depois de um encontro de econometria espacial:
"Science requires the use of electricity" (p. 70)

"... if we adhere to the standard of perfection in all our endeavors, we are left with nothing but mathematics and the White Album. So maybe we just need to accept a bit of fuzziness and stop complaining." (p. 71)

Novidades da SEA 2008

A conferencia estah joia. Alguns destaques.
- Em breve, openGeoda 1.0 para todas as plataformas. Veja o site novo do projeto;
- Muita coisa sobre painel espacial, incluindo aplicacoes. Uma boa nova: Gianfranco Piras e Giovanni Millo desenvolveram o codigo para o R.
-Foi muito bacana a apresentacao do Luc Anselin, resumindo os 20 anos desde o lancamento de seu livro.
Amanha tem mais!

Mary Poppins e a crise financeira

Para quem acha que a crise é novidade...

Fidelity Fiduciary Bank
Mr. Dawes Sr, Mr. Banks and Bankers:
If you invest your tuppence
Wisely in the bank
Safe and sound
Soon that tuppence,
Safely invested in the bank,
Will compound
And you'll achieve that sense of conquest
As your affluence expands
In the hands of the directors
Who invest as propriety demands
You see, Michael, you'll be part of
Railways through Africa
Dams across the Nile
Fleets of ocean greyhounds
Majestic, self-amortizing canals
Plantations of ripening tea
All from tuppence, prudently
Fruitfully, frugally invested
In the, to be specific,
In the Dawes, Tomes
Mousely, Grubbs
Fidelity Fiduciary Bank!
Now, Michael,
When you deposit tuppence in a bank account
Soon you'll see
That it blooms into credit of a generous amount
Semiannually
And you'll achieve that sense of stature
As your influence expands
To the high financial strata
That established credit now commands
You can purchase first and second trust deeds
Think of the foreclosures!
Bonds! …

IV Encontro "Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional"

Valeu pelo aviso, Fábio Pesavento.
V Encontro "Escravidão & Liberdade no Brasil Meridional"
13 a 15 de maio de 2009
Local: Departamento de História da Universidade Federal do Paraná
Centro, Curitiba, PR

Chamada de trabalhos
Os organizadores do IV Encontro Escravidão & Liberdade no Brasil
Meridional convidam pesquisadores para este novo evento, que se
realizará em Curitiba, entre os dias 13 e 15 de maio de 2009, na
Universidade Federal do Paraná.
O IV Encontro "Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional" tem por
objetivo reunir pesquisadores que se dedicam aos temas da escravidão,
da liberdade e do pós-emancipação na região sul do país, bem como
aqueles que, tratando de temas correlatos ou estudando outros espaços,
possam estabelecer conexões com a região ou com os temas
privilegiados. Nesse sentido, dá continuidade à realização de
encontros bi-anuais sobre os temas, tendo as edições anteriores –
Castro, 2003; Porto Alegre, 2005; Florianópolis, 2007 – representado
oportunida…

Otávio Damé

O que você pensa de um aluno que recusa uma vaga no mestrado da UFRGS porque só queria ir para a EPGE/FGV? Maluco, né? Imagina passar mais um ano estudando só para a prova da ANPEC. No topo da classificação, a disputa é acirradíssima e basta você estar em um dia mais ou menos para dançar. Pois é, foi isso que eu pensei (e disse) para o o Otávio, aluno da terceira turma da Economia da UFPel , quando ele me falou que tinha tomado tal decisão.

Passou um ano... e ele foi aprovado na EPGE!!!! Parabéns pela perseverança e dedicação, Otávio!!!

UPDATE: A ANPEC fez lambança e os resultados divulgados na sexta-feira estavam com problemas. Tenho certeza que não haverá qualquer mudança na classificação do Otávio, mas vale dar uma pausa nas comemorações só para não trazer azar.

UPDATE 2: Confirmadíssimo! Otávio passou mesmo na EPGE!

A Riqueza das Nações no Longo Prazo

Até 1500...
Was the Wealth of Nations Determined in 1000 B.C.?
Diego Comin, William Easterly, Erick Gong

We assemble a dataset on technology adoption in 1000 B.C., 0 A.D., and 1500 A.D. for the predecessors to today’s nation states. We find that this very old history of technology adoption is surprisingly significant for today’s national development outcomes. Our strong and robust results are for 1500 A.D.determining per capita income today. We find technological persistence across long epochs: from 1000 BC to 0 AD, from 0 AD to 1500 AD, and from 1500 AD to the present. Although the data allow only some suggestive tests of rival hypotheses to explain long‐run technological persistence, we find the evidence to be most consistent with a model of endogenous technology adoption where the cost of adopting new technologies declines sufficiently with the current level of adoption. The evidence is less consistent with a dominant role for
population as predicted by the semi‐endogenous growth model…

Obama

Amanhã eu volto a ser o descrente, o pessimista, que não vota desde 1989. Hoje, não dá.
"Rosa Parks sat so Martin Luther King could walk. Martin Luther King walked so Obama could run. Obama's running so we all can fly."
Jay-Z

(de volta à programação normal)

8th Spatial Econometrics and Statistics workshop

Dear colleagues,

We are very pleased to invite you to Besançon, France, to participate to
the 8th edition of the Spatial Econometrics and Statistics Workshop,
which will be held on June 1-2, 2009. This workshop aims at reinforcing
and stimulating the interactions between well established and young
researchers involved in spatial statistics and econometrics.
Both theoretical and empirical contributions are welcome.

You are invited to submit your paper or long abstract (6 pages)
electronically to the following email address:
spatial2009@univ-fcomte.fr. The deadline for submission of
abstracts/papers is February 15th, 2009. Notification of acceptance will
be sent by March 20, 2009. The call for papers is enclosed.

More information concerning the workshop is available at :
http://sew2009.univ-fcomte.fr/index.htm or
http://sew2009.univ-fcomte.fr/english/home.htm

We are looking forward to meeting you in Besançon.

Best regards,
Julie Le Gallo

(for the scientific and organizing committees)

Landes versus Crafts

Crafts abalou o consenso mostrando que a revolução industrial inglesa não foi lá muito revolucionária. Foi tudo muito lento e localizado. A briga entre eles é antiga e o tom é pesado, mas o trecho abaixo do Landes comentando um trabalho do Crafts me surpreendeu:
I am struck by the fact that I have no place in his bibliography. (I know he reads me, if only to disagree.)
Duvida que um professor de Harvard possa ser tão sincero? Leia aqui.

Railroads and the Rise of the Factory: Evidence for the United States, 1850-70

Foi o Eustáquio Reis quem me chamou atenção para este ótimo paper:
Over the course of the nineteenth century manufacturing in the United States shifted from artisan shop to factory production. At the same time United States experienced a "transportation revolution", a key component of which was the building of extensive railroad network. Using a newly created data set of manufacturing establishments linked to county level data on rail access from 1850-70, we ask whether the coming of the railroad increased establishment size in manufacturing. Difference-in-difference and instrument variable estimates suggest that the railroad had a positive effect on factory status. In other words, Adam Smith was right -- the division of labor in nineteenth century American manufacturing was limited by the extent of the market.
Pois é, mais uma vez fica claro que custo de transporte é tudo.
Será que o mesmo valeu para o início da indústria brasileira?

Bolsas de Doutorado e Posdoc na UCLA

William Summerhill pede para divulgar e eu o faço com prazer:

The UCLA Center for Economic History (UCLA-CEH) announces its graduate fellowship in economic history. Applicants to the doctoral programs in either Economics or History are eligible for consideration. The Center’s award provides full tuition and stipend for the first year of the program and for one additional year near the end of the student’s studies. In the intervening years the fellow’s department will provide support (in accordance with the department’s program of graduate support) in the form of a graduate teaching or research assistantship. As a condition of the award CEH fellows will pursue a dissertation project in the area of economic history; take graduate courses in economic history; and participate in the economic history pro-seminar, the Von Gremp workshop in economic history, and conferences sponsored by the Center. Individuals wishing to be considered for the fellowship should indicate their interest in…

A Grande Depressão na Suécia

"...early 1930s, when Gustav Cassel argued without success that overly restrictive American monetary policy was making matters worse, and Gunnar Myrdal devised budgetary policies implemented by the new Social Democratic government in 1933 that spared Sweden the worst of the Great Depression. In other words, economists of the Stockholm School implemented successful macroeconomic policies several years before John Maynard Keynes published his General Theory of Employment, Interest and Money, even if they were unable to make the case for what they were doing to the wider world. The Swedes have taken economics very seriously ever since. "
No blog Economic Principals do David Warsh, autor do bom Knowledge and the Wealth of the Nations. Será que, de fato, a Suécia realizou aquilo que Furtado (com um tanto de exagero) disse que aconteceu no Brasil?

Mercados de Capitais: do ABC às Crises Financeiras

Estando em Pelotas, não perca!

SEMINÁRIO DE ECONOMIA FINANCEIRA

Mercados de Capitais: do ABC às Crises Financeiras
O Departamento de Economia da UFPel realiza nos próximos dias 29 e 30 de outubro o "Seminário de Economia Financeira – Mercado de Capitais: do ABC às Crises Financeiras".
O encontro será realizado no auditório do Centro de Integração do Mercosul, na rua Andrade Neves, 1529, Pelotas.

No dia 29, a abertura do evento ocorrerá às 19h30min com a palestra do professor Nélson Seixas (Departamento de Economia da UFPel) e de Eugênio Santos da Rosa (Corretora Gradual). Ambos falarão sobre o tema "Mercado de Capitais: Que Mercado é Esse?".

No dia 30, a partir das 20:30, os professores Anderson Denardin e Marcelo de Oliveira Passos (ambos do Departamento de Economia da UFPel) abordam o tema "Crise Financeira Americana: Que Crise é Essa?".

Os participantes poderão fazer perguntas aos palestrantes.

O público-alvo do evento são os acadêmicos do Curso de Ciências E…

Software beta que eu recomendo

Umas sugestões:
QGis- software de GIS que abre arquivos shape. Quase substitui o ArcView.
PSPP- o SPSS dos pobres. Ainda muito longe do original, mas até que funciona.
Ubiquity- sensacional extensão para o firefox.
Todos rodam em Windows, Mac e Linux. A propósito, por que você não instala o Ubuntu? Nesta quinta, um nova versão será lançada.

As causas da crise de 1929

Mankiw sintetiza a literatura sobre as causas da Grande Depressão. As pesquisas de Eichengreen, Romer, Temim e cia são muito interessantes e sugerem que o tema está longe de estar esgotado. Como Bernanke disse: “Entender a Grande Depressão é o cálice sagrado da macro". Eu acrescento: ",especialmente nestes tempos interessantes.".

Pesquisas de opinião e intervalos de confiança

Uma previsão: nestas eleições, se algum instituto de pesquisa errar, um "analista político" dirá que "é um absurdo que se tenha entrevistado apenas 1000 pessoas em uma cidade de mais de X milhões de eleitores". É batata.
Pobre de mim. Eu passo minha aulas lembrando aos alunos que os intervalos de confiança dependem do tamanho absoluto da amostra e não da sua relação com o total da população. Se você quer o mesmo intervalo de confiança, vai ter que entrevistar o mesmo número de entrevistados na eleição para prefeito em Arroio dos Ratos ou em São Paulo. Em pesquisa cliométrica isso também é uma benção: quer você esteja trabalhando com inventários de uma cidade pequena, quer de uma cidade grande, as tuas amostras aleatórias serão do mesmo tamanho! É contra-intuitivo, eu sei; mas é verdade. O problema é que eu educo quarenta caras por vez, enquanto o sujeito na TV deseduca 4 milhões.

O grande Andrew Gelman escreve sobre o assunto na Scientific American.

A maldição dos recursos naturais e a crise atual

Os últimos anos ratificaram a tese da resource curse: países com recursos naturais facilmente controláveis por um grupo adotam instituições ruins e comprometem o seu crescimento de longo prazo. Dube & Vargas mostraram a relação entre preço de café, petróleo e conflito dentro da Colombia* (dica do Dani Rodrik).
E agora? Com os preços das commodities caindo, o que será que vai acontecer? Não dá mais para gastar em besteira e os incentivos para tomar o poder caíram. Eu temo, contudo, que haja um efeito catraca: os ditadores farão patriotadas só para permanecerem no poder.

* Sugestão de dissertação: examinar a queda na qualidade das prefeituras brasileiras que passaram a receber royalties do petróleo ou de hidrelétricas. Estudo de caso não vale.

Krugman

Ele formalizou as intuições da economia regional e foi muito além. Só a Nova Geografia Econômica já valeria o prêmio. Muito merecido mesmo!
(A propósito, durante a mudança joguei fora o ingresso para a palestra. Droga.)

Always look on to the bright side of life

O nome da crise?

Uma boa crise merece um bom nome. Para quem não sabe, durante muito tempo "Great Depression" remetia à crise de 1873-1896. A de 1929 foi chamada de "Great Slump" (bela palavra, meio onomatopaica). Não pegou. Acabou que "Great Depression" virou a de 1929 e a de 1873 foi esquecida. Bem, quase.
"Crise da sub-prime"? Na Inglaterra, estavam chamando de "credit crunch". Ao que parece, ambos nomes são limitados.
Eu não tenho sugestões. Afinal, a minha criatividade, que já era naturalmente limitada, foi tolhida por anos de formação em Economia. O que fazer? Bem, sugiro relaxar e ter uma visão histórica lendo o velho Charles Kindleberger com "Manias, Pânicos e Crashes".

PS. No fundo, eu chuto que essa crise é pouco importante e não vai merecer o seu próprio nome. Vai ser só a "Crise de 2008".

Uma lei lingüística

"A qualidade de uma análise econômica é inversamente proporcional à freqüência de expressões dramático-cinéticas* utilizadas."

* Termos dramáticos mais freqüentes: despencar, bater, arrebentar, estourar, queimar, sufocar...

William Summerhill no Valor

Lições da história econômica
Resultado de mais de 20 anos de pesquisa, o trabalho de William Summerhill, professor da Universidade da Califórnia-Los Angeles (Ucla), sobre as ferrovias brasileiras tornou-se um clássico para a análise do desenvolvimento econômico.
Summerhill foi o único a se embrenhar em arquivo morto do prédio do Ministério da Fazenda, no centro do Rio, para levantar dados para sua tese. Em visita ao Brasil, a convite da USP, o brasilianista, de 45 anos, comentou (em excelente português) lições da história econômica para este momento da economia brasileira. Nesta entrevista, Summerhilll criticou a criação de uma estatal para exploração das reservas de petróleo da "camada pré-sal": "É um passo para trás."
Leia aqui.
(Googlando, encontrei outra entrevista recente jóia do WRS)

Antropometria Histórica e Desenvolvimento Econômico: Brasil e Rio Grande do Sul

Aí vão os slides da apresentação de ontem no seminário da UFPR. Foi um compacto de dois papers antropométricos que fiz com o Cláudio Shikida, Luiz Nogueról e com o Mateus Signorini.

(Autopromoção deslavada: o trabalho com o Mateus foi aceito na ANPEC. Ainda, o curso de Economia da UFPel teve mais dois papers selecionados: um do André Carraro com a turma ótima da Ciências Sociais Agrárias; outro do Marcelo Passos. Nada mal para um curso que formou apenas 4 turmas e com corpo docente que (ainda)cabe em um fusca. Por fim, um ex-aluno da UFPel, o doutorando Rodrigo Ávila, também emplacou seu trabalho)

ENCONTRO DE ECONOMIA E DIREITO 2008: A Corrupção no Brasil

Tema: A Corrupção no Brasil: Uma análise Econômica e Jurídica


Período de realização: 16,17 e 18 de setembro de 2008.
Local: Auditório do Centro de Integração do Mercosul .
Horário: das 19h30min. às 22 horas.
PROMOÇÃO: Departamento de Economia/UFPel
Instituto de Direito e Economia do RS
Controladoria Geral da União (CGU)

Inscrições: Com Vanessa Boll na Faculdade de Direito ou na secretaria do Departamento de Economia (ICH)
Fone: 3284-5528

Investimento: R$ 20,00 para acadêmicos da UFPEL
R$ 30,00 para comunidade em geral



Certificados: Serão emitidos certificados aos participantes com presença mínima de 75%.

Público alvo: Acadêmicos do Curso de Ciências Econômicas e de Direito, economistas e advogados, profissionais de áreas afins, empresários, setor público e comunidade em geral.

Objetivos do evento: Discutir os avanços na teoria econômica e no mundo jurídico com respeito ao combate à corrupção.

Coordenação: Prof. André Carraro

Programação

16/09/08 terça-feira

19h30min - Abertura
Prof. An…

Cultura e Desenvolvimento

Mais uma ótima resenha de Farewell to Alms:
One of my favourite history books is a collection of contemporary letters and reports written during the first half of the nineteenth century about industrial work in German lands. Observers decried how unreliable, slovenly, and undisciplined workers were. Germans had no hope of ever becoming developed!
por Wolfgang Kasper. Leia a íntegra aqui.

O que ando fazendo de divertido:

- procurado o livro "Questionários sobre as condições da agricultura no estado do Rio Grande do Sul" de 1913. A biblioteca do Ministério da Fazenda tem de todos os estados brasileiros, exceto o referente ao RS. Já procurei nas biblotecas da FEPAGRO, IBGE, UFRGS, Assembléia Legislativa, UFPel, FEE, Emater e ainda nada. Se algum leitor tiver sugestões, eu agradeço. (Os volumes scaneados referentes aos outros estados estão disponíveis aqui.
- mapeado os caminhos de tropas dos estados do sul para ter uma matriz de distância entre os municípios. Com as dicas dos historiadores Martha Hameister e Adhemar Lourenço, isso já está quase resolvido e só falta o trabalho braçal.

Como ficar milionário

(A propósito, Scott Adams bancou uma pesquisa com 500 economistas para decidir em quem votar. Trata-se de uma alternativa a sua proposta mais radical)

O maior erro da humanidade

Feliz não dia do economista

Desenterrei um post jurássico (em anos internéticos), com a minha proposta de festivus do economista.

14/08/2004
O Novo Dia do Economista

No blog economiaeverywhere, chegamos à conclusão que comemorar o dia do economista em 13 de Agosto não está muito de acordo com a nossa profissão. Afinal, essa foi apenas a data que a profissão foi regulamentada no Brasil.

Surgiu, então, a idéia de uma outra data: 9 de Março. Foi nesse dia, em 1776, que saiu a primeira edição da Riqueza das Nações do Adam Smith.

Eu não sei vocês, mas, a partir de agora, eu vou comemorar a data em março. O cardápio do jantar de comemoração será fruto do interesse próprio e não da benevolência: sanduíches de pernil e cerveja na hora do jantar. ;-)

Na verdade, eu nunca comemorei porque sempre esqueço da data. Em 2009, contudo, o Google calendar me lembrará do evento.

E-book da Lei Seca

Cláudio Shikida pôs no ar um e-book em que economistas e/ou blogueiros discutem a Lei Seca no trânsito. Ainda não li com o devido cuidado, mas dá para ver que há opinião para todo o gosto. Divirtam-se!
(Meu pitaco: eu apoio a Lei. Os opositores afirmam que ela pune um crime que não aconteceu. Por coerência, essa turma tem que defender também o fim da velocidade máxima no trânsito.)

O Mac dos pobres

Ok, um Mac é o meu sonho de consumo. Solução: peguei o meu T61 com Linux-Ubuntu e segui esses passos. Isso me rendeu apenas 30 minutos de procrastinação. No fundo, é como um daqueles fuscas com frente de rolls-royce, mas ficou bonito mesmo e não houve qualquer queda de desempenho. Ficou bem asssim:

Lopez-de-Silanes em Porto Alegre

O grande economista estará em Porto Alegre na próxima sexta-feira:
Aí vão os dados:
CONVITE PARA A PALESTRA BANRISUL:
TITULO :' LAW, CORPORATE GOVERNANCE, BOARDS E FAMILY FIRMS' ( legislação, governança corporativa em empresas familiares )
PALESTRANTE: FLORENCIO LOPES-DE-SILANES
IDIOMA DA PALESTRA: ESPANHOL ( O palestrante nasceu no México )
LOCAL: SEDE DO SESC EM POA - PROTÁSIO ALVES, 6220.
DATA: 01.08.2008
HORA: 9,30 HORAS
DURAÇÃO : 2,0 HORAS
ENCERRAMENTO: COQUETEL
Obrigado pelo aviso, LF Braga!

O sucesso da Coréia ou Prêmio Eço de Ignorança Econômica - versão Desenvolvimento Econômico

Eu estava sem tempo de ler os suspeitos de sempre do Premio Eço. Mas é só um pulinho no blog do Luis Nassif, para eu não me decepcionar. Veja sua explicação para o sucesso da Coréia:
A grande investida da Coréia, nas últimas décadas, deu-se através de um amplíssimo esquema de contrabando, valendo-se de uma estrutura internacional de coreanos que migraram para diversas partes do mundo. Em São Paulo, Promocenter era um exemplo vivo desse jogo.

Genial, não? Imagino que sua proposta de política industrial envolve o envio de contrabandistas brasileiros para preparar o terreno mundo afora.

Na Coréia do Norte

Em 1962, um soldado americano desertou para a Coréia do Norte. A história dele é contada em Crossing the Line , documentário sensacional da BBC. Nicholas Bonner, o produtor, é o sujeito que consegue o milagre de filmar lá. Meu sonho é usar os serviços de sua agência de turismo.
Eu acho que é ilegal, mas você pode fazer o download do filme aqui:
http://rapidshare.com/files/23337898/BBC4_-_North_Korea_-_Crossing_The_Line.part1.rar
http://rapidshare.com/files/23337951/BBC4_-_North_Korea_-_Crossing_The_Line.part2.rar
http://rapidshare.com/files/23338030/BBC4_-_North_Korea_-_Crossing_The_Line.part3.rar
http://rapidshare.com/files/23338089/BBC4_-_North_Korea_-_Crossing_The_Line.part4.rar
http://rapidshare.com/files/23338137/BBC4_-_North_Korea_-_Crossing_The_Line.part5.rar
http://rapidshare.com/files/23338195/BBC4_-_North_Korea_-_Crossing_The_Line.part6.rar
http://rapidshare.com/files/23338284/BBC4_-_North_Korea_-_Crossing_The_Line.part7.rar

Zoho

Muito bacana mesmo. Muito mais interessante do que o Google Docs. O Zoho Creator é uma solução jóia para quem precisa montar um banco de dados. Com ele, várias pessoas podem entrar dados ao mesmo tempo e as atualizações são instantâneas. Recomendado parar controlar os teus bolsistas. E, além de tudo, é de graça para usuários domésticos!

O benefício social da reprovação

Mesmo depois de 15 anos dando aula, sempre fico chateado quando reprovo um monte de alunos. Afinal, sou pago para ensinar. Se os caras não aprenderam, a culpa é minha. Eu deveria ter ensinado direito ou os motivado a estudar Economia.
Mas será que eu devo mesmo motivá-los a estudar Economia? Existem milhões de coisas a serem feitas no mundo além de estudar Economia ou mesmo ter um diploma. Lembrei disso lendo uma entrevista do então jovem Paulinho da Viola, na Antologia do Pasquim. Ele conta que virou músico profissional porque não passou no vestibular para Economia. Imagine a perda para o mundo se, ao invés de compor "Coração Leviano", o Paulinho estivesse maravilhado com o Curvas de Indiferença e assemelhados. (Como se sabe, Mick Jagger é o equivalente internacional).
Enfim, a recomendação para professores com culpa: pense que os seus piores alunos são talentosos ___________ (preencha com a sua profissão predileta) e você está fazendo um favor ao mundo reprovando-os. Pens…

As condições de vida dos gaúchos entre 1889-1920: uma análise antropométrica

Novidades no IPEADATA e Memória Estatística do Brasil

Bastam alguns meses sem visitar a parte histórica do Ipeadata ou a Memória Estatística do Brasil/Nemesis para eu ficar surpreso com o monte de informações novas disponíveis. Maravilhas estão no ar graças ao trabalho do Eustáquio Reis e sua turma no IPEA.
- Lembram daqueles gráficos, sem as tabelas originais, com índices de preço na Bahia do livro da Katia Mattoso ("Ser escravo no Brasil")? Pois é, o Eustáquio foi para a França e conseguiu a tese original. Os dados agora estão no IPEADATA.
- As novidades da Memória Estatística do Brasil são tantas que nem cabe detalhar. Só adianto que tem ouro lá!
Ter tantos dados com tão fácil acesso é um marco da pesquisa sobre história econômica do Brasil. Cliometristas de todo o mundo, uni-vos e mãos à obra!

Periódicos Capes ficou ainda melhor

Novos periódicos entraram no site. Via JSTOR (ou seja, os últimos números não estão disponíveis)
The American Economic Review
Econometrica
The Economic Journal
Journal of Applied Econometrics
The Journal of Economic History
Journal of Economic Literature
The Journal of Economic Perspectives
The Journal of Political Economy
The Quarterly Journal of Economics
The Review of Economic Studies
The Review of Economics and Statistics

O que estou fazendo...

Trabalhando com dados antropométricos, junto com o Mateus Signorini (ex-orientando e quase economista). Vejam um gráfico das alturas dos gaúchos nascidos entre 1889-1920. Os resultados finais, se tudo der certo para a gente, estarão em algum seminário perto de você. Já adianto que eles não eram altos por causa da imigração. Eram altos apesar da imigração.

Livro não se empresta, muito menos se devolve

Sim, eu acredito nisso. Sou um bom emprestador e roubo com freqüência. Acho até ofensivo quem devolve livro emprestado. Parece até que você não gostou do livro. De qualquer forma, inspirado por esse post do Brad Delong, resolvi também perguntar se alguém viu os seguintes livros que um dia foram meus:
- Philip McCann, Industrial Location Economics
- Fogel, Escape from hunger
- Rajan e Zingales, Salvando o capitalismo*
- Gelman, Data analysis using regression multilevel/hierarchical models*
- Buescu, Disparidades de renda no passado
*Esses dois eu já comprei outra cópia. Um por pressão do departamento de patrimônio e o outro por necessidade.

PS: Sabino, se esses livros estão com você, nem esquenta. Eles estão em boas mãos.

Robert Mugabe, Mestre em Economia

"A inteligência voltada para o Mal é pior do que a burrice" Hélio Pellegrino

"All accounts describe him in the same words," writes Blair, "diligent, quiet, studious, introverted." Mugabe shunned smoking and drinking alcohol and "excelled academically" at every institution he attended, including South Africa's University of Fort Hare, the hotbed of African nationalism from which Nelson Mandela had been expelled earlier. During Mugabe's 11 years of imprisonment, from 1963 to 1974, under Zimbabwe's white-ruled predecessor state of Rhodesia, the future president enrolled in University of London correspondence courses and earned four degrees — a master's degree in economics, a bachelor's degree in administration, and two law degrees — to go with the three bachelor's degrees he already possessed, in economics, education, and history and literature.

La Historia de empresas en América Latina: perspectivas históricas y trayectorias comparadas

La Historia de empresas en América Latina: perspectivas históricas y trayectorias comparadas Coordinadoras: María Inés Barbero, Carmen Gloria Bravo y Andrea LluchEl simposio se desarrollará en Santiago de Chile y en el marco del Congreso Ciencias, tecnologías y culturas. Diálogo entre las disciplinas del conocimiento. Mirando al futuro de América Latina y el Caribe. Este evento tendrá lugar entre el 29 de octubre y el 2 de noviembre de 2008 en la Universidad de Santiago de Chile.Propuesta: En las últimas décadas se ha registrado un notable incremento en la producción académica sobre la historia de empresas en América Latina, al estudiarse de manera interdisciplinaria un conjunto de temas sobre el desarrollo histórico de las empresas y los empresarios así como su articulación con el contexto económico, social, cultural y político. El desarrollo de la Business History en América Latina, no obstante, ha tenido un impacto diferencial en los distintos países de la región. De allí que este…

Chutando a canela de gigantes

É batata. Basta você ter uma ótima ideia, encontrar evidências impactantes e ter um amplo impacto que algum economista mais jovem vai mostrar os teus furos. Dois casos recentes:
- O Avner Greif ficou famoso com a sua tese de que no século XI o comerciantes Maghribi tinham relações comerciais baseadas em instituições informais e baseadas na confiança pessoal. Com o tempo, os genoveses que tinham redes comerciais mais amplas e impessoais, passaram a frente. Combinando Nova Economia Institucional, Teoria do Jogos e profunda pesquisa histórica, o trabalho de Greif virou um modelo na área. Até que Edwards & Olgivie argumentaram que na verdade os Maghribi usavam um sistema legal. Greif rebate.
- Acemoglu, Johnson e Robinson argumentaram que a mortalidade dos colonos europeus condicionou o tipo de instituições do restante do mundo. (Mortalidade baixa está relacionada com colônias de povoamento e "boas instituições"). E essas instituições determinaram o destino econômico dos …

Engerman e Escravidão

Esse livrinho, no melhor sentido possível, do Stanley Engerman é uma maravilha. Para não iniciados, dá uma panorâmica não técnica sobre a questão; para quem já conhece o tema, é ótima para encadear o que os últimos 50 anos de pesquisa ensinaram sobre a escravidão. E o melhor: é escrito por um dos caras que começou isso tudo.

Montesquieu versus Jared Diamond

Nada de Germes, armas ou aço. A chave da dominação européia nas Américas foram as idéias:
"Can it be said that this destruction, the greatest history has ever known, was only a simple effect of the ignorance of a principle of philosophy? It can, and I am going to prove it."

Montesquieu em The Motives That Ought to Encourage Us to the Sciences

(O texto todo é sensacional. Deve ficar ainda melhor no original.)

via aldaily.

WALL-E

O filme é tão fantástico quanto dizem. Un crítico já disse que é uma mistura de "Disney, Kubrick e Chaplin". Isso mesmo. Até Wall-e nunca eu tinha ficado de queixo caído nos créditos de encerramento. É um daqueles poucos momentos em que entretenimento se transforma em arte.
(Se perto de sua casa só tiver a cópia dublada, não se importe. O filme mal tem diálogos.)

VI ENABER - ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS REGIONAIS E URBANOS

VI ENABER - ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS REGIONAIS E URBANOS
Aproveite e fique sócio também da ABER. Por R$40,00 você ganha:

# Associação simultânea à RSAI – Regional Science Association International.
# Assinatura eletrônica da revista Papers in Regional Science (www.springeronline.com/journal/10110/about).
# Acesso a áreas restritas do site da RSAI com informações sobre congressos internacionais, publicações e auxílio à pesquisa.
# Versão eletrônica da newsletter, com informações atualizadas sobre eventos e publicações.
# Descontos na assinatura do Journal of Regional Science e outras publicações da Editora Blackwell.
# Descontos nas taxas de inscrição em congressos da RSAI.
# Acesso à lista de membros da RSAI.

Economics of Regional Clusters: Networks, Technology and Policy

Saiu o livro editado por Uwe Blien e Gunther Meier e publicado pela Edward Elgar (UK). Tem um texto meu em que uso uma abordagem multilevel para estimar os impactos da localização das firmas nos salários dos indivíduos no Rio Grande do Sul. Por US$125 na Amazon, eu duvido que seja um bestseller (mas está barato quando comparado com isso. Leia os comentários). Eu ainda não recebi o meu exemplar, mas os outros textos parecem bem interessantes. Aí vai o índice:
The Economics Of Regional Clusters
Networks, Technology and Policy
Edited by Uwe Blien, Institute for Employment Research and Technical University of Kaiserslautern, Germany and Gunther Maier, Vienna University of Economics and Business Administration, Austria
Contents:

1. The Starting Point
Uwe Blien and Gunther Maier

2. Innovation Dynamics and the Structure and Evolution of Industrial Clusters
Simona Iammarino and Philip McCann

3. First Steps towards a Critical Appraisal of Clusters
André Torre

4. A Network Based Approach Towards Industry …

Menos crianças, melhor educação infantil (tomara!)

Dei uma boa notícia para minha mulher hoje. Este estudo do IPEA mostra que, no Brasil, a parcela e o número absoluto de crianças em idade escolar está caindo. Ou seja, fica cada vez mais fácil resolver o problema da qualidade da educação infantil. O estudo também examina mais dez países latino-americanos.

(PS: Aproveite que você está no site do IPEA e faça o download de doislivros com a produção da casa sobre economia regional.)

Made in America? The New World, the Old, and the Industrial Revolution

Power and Plenty:Trade, War, and the World Economy in the II Millennium- O'Rourke e Findlay

O livro não é para todos. Você tem que já saber um tanto sobre os últimos mil anos de história econômica mundial e algum treinamento em Economia. De qualquer jeito, é essencial se você é um pesquisador desses assuntos.
O livro mudou minha cabeça sobre vários assuntos, especialmente sobre a Revolução Industrial. Eu ficava do lado da New Economic History: a Revolução foi lenta e o comércio internacional foi pouco importante. Agora eu não tenho mais tanta certeza. Em resumo Power and Plenty é um livraço! (E a edição de capa dura, com mais de 600 páginas, está por US$30 dólares na Amazon.)

GRETL

Nas aulas de Econometria desse semestere, eu resolvi não assustar os alunos com a interface do R e usar uma alternativa. Os colegas recomendaram o Gretl e eu achei bem bom mesmo. Acessível, gratuito, completo e - ainda por cima - com os dados dos principais livros de Econometria. Por que ainda usar o Eviews? (Pergunta meio retórica, meio para valer).

Third International Workshop on "Geographical Analysis, Urban Modeling, Spatial Statistics"

GEOG-AN-MOD 08
http://www.lisut.org/workshop/geog_an_mod_08/
June 30th to July 2rd, 2008

Workshop Description
To date availability of geographic data and information is growing together with the capacity of users to operate with IT tools and instruments. Spatial data infrastructures are growing and allow a wide number of users to rely on them. This growth has not been fully coupled by an increase of knowledge to support spatial decisions. Spatial analytical techniques and geographical analysis and modelling methods are therefore required in order to analyse data and to facilitate the decision process at all levels. Old geographical issues can find an answer thanks to new methods and instruments, while new issues are developing, challenging the researchers for new solutions. This workshop is aimed at contributing to the development of new techniques and methods to improve the process on knowledge acquisition.

Seminário " A Nova Dinâmica Econômica no Sul do RS"

O que: Seminário " A Nova Dinâmica Econômica no Sul do RS"
Quando: de 18 a 20 de Junho, das 19:00 às 21:30

Onde: auditório do Hotel Curi Palace, Rua General Neto 1279, Pelotas.

Por que: Novos setores econômicos estão em processo de instalação no sul do Rio Grande do Sul. Silvicultura, vitivinicultura atividades portuárias e a indústria biomédica, entre outros, têm o potencial de renovar a estrutura produtiva local. Para apresentar e discutir essa oportunidade rara de retomada do desenvolvimento regional, o Curso de Economia da Universidade Federal de Pelotas promove na próxima semana o evento "A Nova Dinâmica Econômica no Sul do RS"

Quem: Serão palestrantes os representantes e diretores das principais empresas dos setores portuário, vitivinicultura, silvicultura, indústria biomédica da região, além do presidente da Fundação de Economia e Estatística, Dr. Adelar Fochezatto; Dr. Pedro Bandeira (UFRGS) e Dr. Rogério Piva (FURG).

Como: As inscrições podem ser realizadas …

Trust me, I am an economist

Aí vai o link para o documentário para a BBC do Tim Harford: Trust me, I am an economist. Deve ser ilegal fazer o download, portanto clique por sua própria conta, ok?
Os doislivros do Tim Harford são uma maravilha e eu recomendo fortemente para econs e não-econs. Depois do boom do Freakonomics, eu acho o do Tim o que melhor cumpre o papel de divulgação da Teoria Econômica. É um livro mais ...mais... Inglês do que os do mesmo gênero. Ele é comedido, dedutivo e bem escrito.

III Research Workshop on Institutions and Organizations - Call for papers

O grande Ramon Fernandez avisa:
"Call for papers

The III Research Workshop on Institutions and Organizations will be held at Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP) from October 13th to 14th 2008. The III RWIO is sponsored by three Brazilian Academic Institutions (Fundação Getúlio Vargas São Paulo, IBMEC São Paulo and University of São Paulo).

Seminar participants will discuss recent developments in the analysis of institutions and organizations through the lenses of Economics, Management, Sociology, Law and other social sciences. Instead of focusing on the contributions of specific disciplines dealing with institutions and organizations, workshop participants will emphasize differences and commonalities among different approaches, leading to potential advances and refinements in the field.

We encourage the participation of researchers of Brazilian and international institutions. The following program is based on both invited and selected papers.

The organizational committee invites the sub…

Economistas na II Guerra

Eu admirava os matemáticos que decifraram o Enigma e foram fundamentais para a vitória na II Guerra. Hoje chegou a minha assinatura do Journal of Economic History e eu aprendi que os economistas também tiveram papel decisivo.
A turma era boa: Leontief, Friedman, Stigler, Kindleberger, Abramovitz e até o Sweezy, entre outros. Enquanto o Leontief usava insumo-produto para decidir que setores destruir, outro grupo usava os anúncios fúnebres em jornais de oficiais alemães para estimar o total de baixas.
O texto tem um monte de causos ótimos. Leia rápido porque o número só fica disponível para não-assinantes por pouco tempo.

(No mesmo número do JEH, eu descobri também que o esterco não foi tão importante quanto eu pensava para a Revolução Agrícola na Inglaterra. Mas isso é outro assunto.)

Concurso para Professor Adjunto na UFPel

A área é Teoria Econômica e são duas vagas. Segundo as orientações da reitoria, o candidato tem que apresentar o título de doutor na hora da posse, mas não na inscrição (que pode ser feita pelo correio e vai até 23 de maio). Por favor, espalhem a notíca. O edital está dispononível aqui:
http://www.ufpel.edu.br/pra/concursos/arquivos/edital_002_2008_prg_site.pdf

Atualização: a vaga é para Dedicação Exclusiva. Portanto, o salário é maior do que o anunciado no edital (que já foi corrigido).

Preocupado com a crise norte-americana?

Desencane e veja o que a história econômica diz. O gráfico abaixo mostra o PIB per capita dos EUA desde 1870. A bela linha reta, em escala logarítima, só mostra que a taxa de crescimento foi assombrosamente constante. Tirando a Grande Depressão e a II Guerra Mundial, as bolhas, as crises do petróleo e todas as outras manchetes de jornal desaparecem.

Fonte

Novo Ubuntu 8.04

Chateado com o Vista que se arrasta no seu notebook novo? Pronto. Acabaram as desculpas para não usar o Ubuntu. A versão nova permite que você instale e teste de dentro do windows (xp ou vista) como se fosse um software qualquer.

Os Brasileiros de acordo com Darwin

Direto dos diários da Viagem do Beagle (3 de Julho de 1832):
"The Brazilians, as far as I am able to judge, possess but a small share of those qualities which give dignity to mankind. Ignorant, cowardly, & indolent in the extreme; hospitable & good natured as long as it gives them no trouble; temperate, revengeful, but not quarrelsome; contented with themselves & their customs, they answer all remarks by asking "why cannot we do as our grandfathers before us did"
Vale notar que, horrorizado com a escravidão, ele se referia aos livres não-pobres do Rio de Janeiro.

Cartas de Alforria no Rio Grande do Sul

O arquivo público do Rio Grande do Sul vasculhou os Tabelionatos do interior e sintetizou as informações de milhares de cartas de alforria. São mais de 1200 páginas e estão disponíveis de graça!
Isto rende tantas teses de doutorado quanto se quiser.
(Obrigado aos professores (e amigos) Sabino Porto e Pedro Bandeira que me avisaram do fato)

Livros novos para o Departamento de Economia da UFPel

Graças ao Titio CNPq, ao contribuinte e à Amazon, aí vão os livros recém-chegados:
"Predictably Irrational: The Hidden Forces That Shape Our Decisions" Dan Ariely"The Oxford Encyclopedia of Economic History: 5-Volume Set", Joel Mokyr;"African Slavery in Latin America and the Caribbean", Herbert S. KleinThe New Comparative Economic History: Essays in Honor of Jeffrey G. Williamson", Timothy J. HattonGlobalization and the Poor Periphery before 1950 (Ohlin Lectures)", Jeffrey G. Williamson;"Globalization and History: The Evolution of a Nineteenth-Century Atlantic Economy", Kevin H. O'Rourke"Political Economics: Explaining Economic Policy (Zeuthen Lectures)", Torsten Persson;"An Introduction to Efficiency and Productivity Analysis", Timothy J. Coelli;"Time on the Cross: The Economics of American Negro Slavery", Robert William Fogel;"Analysis of Panel Data", Cheng Hsiao"Mathematical Methods an…