Pular para o conteúdo principal

IV Encontro "Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional"

Valeu pelo aviso, Fábio Pesavento.
V Encontro "Escravidão & Liberdade no Brasil Meridional"
13 a 15 de maio de 2009
Local: Departamento de História da Universidade Federal do Paraná
Centro, Curitiba, PR

Chamada de trabalhos
Os organizadores do IV Encontro Escravidão & Liberdade no Brasil
Meridional convidam pesquisadores para este novo evento, que se
realizará em Curitiba, entre os dias 13 e 15 de maio de 2009, na
Universidade Federal do Paraná.
O IV Encontro "Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional" tem por
objetivo reunir pesquisadores que se dedicam aos temas da escravidão,
da liberdade e do pós-emancipação na região sul do país, bem como
aqueles que, tratando de temas correlatos ou estudando outros espaços,
possam estabelecer conexões com a região ou com os temas
privilegiados. Nesse sentido, dá continuidade à realização de
encontros bi-anuais sobre os temas, tendo as edições anteriores –
Castro, 2003; Porto Alegre, 2005; Florianópolis, 2007 – representado
oportunidades para colaboração efetiva e eficaz entre pesquisadores.
Assim, serão bem vindos trabalhos que contemplem:
Ø os sujeitos envolvidos nas relações produtivas da sociedade
escravista: (africanos, escravos brasileiros, índios, trabalhadores
contratados – imigrantes e nacionais -, mulheres, crianças).
Ø trabalho, em suas dimensões urbana e rural.
Ø redes de sociabilidades, parentesco, inclusive o espiritual, e família.
Ø revoltas, rebeliões e culturas africanas.
Ø o tráfico, suas modalidades e suas transformações (tráfico atlântico
de escravos, tráfico interprovincial, mercado interno, trajetórias de
pessoas e riquezas, os debates político-parlamentares; as alterações
nos padrões de posse de escravos decorrentes da restrição e/ou
abolição do tráfico atlântico)
Ø as práticas de manumissão e as fronteiras entre a escravidão e a
liberdade (alforrias, recursos ao mundo institucional-jurídico)
Ø o abolicionismo, a abolição e o destino dos descendentes de
africanos no pós-emancipação (a militância e os projetos
abolicionistas, o debate político institucional em torno da abolição;
a experiência dos ex-escravos: negociação, autonomia, cidadania;
relações inter-étnicas e inter-raciais; memória, cultura, estratégias
e relações de autoridade no pós-emancipação).
Ø relações hierárquicas, teorias raciais, os projetos de
exclusão e de inclusão.
Ø Historiografia do cativeiro e avaliação de fontes documentais.

Com este encontro, portanto, pretende-se possibilitar a troca de
experiências de pesquisa, o intercâmbio de informações, o afinamento
de interesses e perspectivas de análise, a colaboração, enfim, entre
pesquisadores.

Conferencistas:
David Eltis (Emory University)
José Flávio Motta (Universidade de São Paulo)

Organizadores:
Carlos A. M. Lima (UFPR)
Joseli Maria Nunes Mendonça (UFPR)
Martha Daisson Hameister (UFPR)
Beatriz Gallotti Mamigonian (UFSC)
Henrique Espada Lima (UFSC)
Lucia Helena Oliveira Silva (UNESP)
Regina Xavier (UFRGS)
Helen Osório (UFRGS)
Fernando Franco Netto (UNICENTRO)

Instituições promotoras:
Departamento de História e Programa de Pós-Graduação em História da
Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Santa
Catarina (UFSC)
Departamento de História e Programa de Pós-graduação em História da
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
UNICENTRO
UNESP
ANPUHRS/ GT Mundos do Trabalho

Inscrições:
Do mesmo modo que para o encontro anterior, os coordenadores receberão
propostas de comunicações (resumos ampliados de 1 página, até 3.200
caracteres, incluindo espaços) acompanhadas de um currículo sintético
do proponente e do formulário preenchido.
Serão aceitos trabalhos que correspondam, no mínimo, a pesquisas em
andamento em nível de Mestrado. Os pesquisadores que tiverem seus
resumos aceitos deverão enviar os textos completos para circulação
entre os participantes do encontro, de modo a podermos diminuir o
tempo das apresentações e ampliar as discussões dos textos. O envio do
texto completo é imprescindível para a efetivação da inscrição.
Os trabalhos de graduação, de iniciação científica, assim como os
projetos em andamento serão apresentados em banners. As propostas
serão da mesma forma analisadas a partir de resumo ampliado e
currículo dos proponentes.
Os resumos serão publicados em volume impresso e os textos completos
na página do encontro na internet.

Cronograma:
Ø Envio de propostas de comunicação em simpósio ou banners (resumo,
formulário, currículo resumido): até 5 de dezembro de 2008
Ø Divulgação dos trabalhos aprovados: 19 de dezembro de 2008
Ø Envio dos textos completos acompanhados do comprovante do pagamento
da taxa de inscrição pelos apresentadores de comunicação: até 6 de
março de 2009
Ø Inscrição de ouvintes e participantes dos mini-cursos: de 16 de
março a 16 de abril de 2009

Informações:
http://www.labhstc.ufsc.br/ivencontro.htm

Toda correspondência (resumo, comprovante do pagamento da taxa de
inscrição, formulário preenchido) deverá ser encaminhada para:

IV Encontro "Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional"
Departamento de História da UFPR
Rua General Carneiro, 460, 6º andar
Cep 80060-150
Curitiba/ PR
A/C Carlos Lima

E-mail do encontro: castroemcwb@gmail.com

Taxas de inscrição:
Participante com apresentação de trabalho (comunicação ou banner)
Professores: R$ 60,00
estudantes: R$ 40,00
Inscrição de participantes sem apresentação de trabalhos (ouvintes): R$ 10,00
Inscrição em mini-curso: R$ 5,00

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.

Cuba é mais rica que o Brasil?

Um texto da internet afirma (não vou incluir o link):
"O povo daquela ilha rochosa bloqueada é mais rico que o povo do continente Brasil. Essa é uma realidade chocante e geralmente desconhecida." O autor recorre aos dados do World Bank que realmente mostram Cuba com um PIB per capita (PPP)  de US$20611 contra US$ 15893 do Brasil.
Obviamente essa estimativa está furada. É tão furada que a ONU - ao calcular o IDH- estimou outro valor que até os órgãos oficiais de Cuba acharam mais razoável:
The 2013 HDI value published in the 2014 Human Development Report was based on miscalculated GNI per capita in 2011 PPP dollars, as published in the World Bank (2014). A more realistic value, based on the model developed by HDRO and verified and accepted by Cuba’s National Statistics Office, is $7,222. The corresponding 2013 HDI value is 0.759 and the rank is 69th. A mesma fonte coloca o Brasil como tendo renda per capita de US$ 15175. Ou seja, Cuba tem a metade da renda per capita brasilei…