Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2007

From Our Own Correspondent

FOOC é o meu programa predileto de rádio. E eu ouço rádio umas 8 horas por dia . Duas vezes por semana, jornalistas da BBC mundo afora contam seus causos de maneira pessoal. Na última semana, Alan Johnston contou seus 114 dias em cativeiro em Gaza. O show tem um podcast e vários programas são acompanhados de transcrições, bem boas para quem quer aprender Inglês. Não esqueça de visitar o site que comemora os 50 anos do show.

Congresso Mundial de Regional Science - Lembrete

Todo mundo lá!
Deadline approaching for the 2008 World Congress of RSAI in Brazil

Submit your paper at www.aber.fea.usp.br/rsai2008

The 8th World Congress of RSAI will be organized by the Brazilian Regional Science Association (ABER – Associação Brasileira de Estudos Regionais) and will be hosted by the Faculty of Economics, Administration and Accounting of the University of São Paulo, Brazil (www.fea.usp.br), on March 17-19, 2008.

It will have the same format as the regular RSA meetings, with regular sessions, R-sessions, panels, etc.

Papers from all fields in regional science are welcome.

Submit your paper at www.aber.fea.usp.br/rsai2008.

RSAI World Congress 2008 Local Organizing Committee

Eu esqueci de avisar...

aos alunos que hoje não darei aula. Mas é por um bom motivo. Estarei na FEE , nas palestras de Alonso e Bandeira, os dois economistas que fizeram os estudos clássicos sobre questões regionais gaúchas. Eles sabem tudo sobre o assunto e admiro muito os trabalhos de análise e geração de dados que ambos fizeram. Aprenderei muito e será um ótimo dia.

Geografia e Desenvolvimento na África

Em um paper que sairá no QJE, Nathan Nunn mostrou o legado do tráfico de escravos no desenvolvimento da África. Agora ele vai um passo além. Com Diego Puga, o brilhante new economic geographer, ele argumenta que a irregularidade do terreno "afforded protection to those being raided during the slave trades. Since the slave trades retarded subsequent economic development, in Africa ruggedness also has had a historical indirect positive effect on income". O título do paper é: "Ruggedness: The Blessing of Bad Geography in Africa". (Caramba, eu adoro a Economia!)

Por que gostamos de cerveja

Porque os caras que não suportavam beber álcool morreram faz tempo. Isso é só uma das coisas que eu aprendi em "The Ghost Map: The Story of London's Most Terrifying Epidemic--and How It Changed Science, Cities, and the Modern World". A logica é a seguinte: água poluída é uma tremenda ameaça à saúde human, logo..
"In a community lacking pure-water supplies, the closest thing to "pure" fluid" was alcohol. Whatever the risks were posed by beer (and later wine) in the early days of agrarian settlements were more than offset by alcohol's antibacterial properties. Dying of cirrhosis of the liver in your forties was better than dying of dysentery in your twenties... To digest large quantities of (alcohol), you need to be able to boost production of enzymes called alcohol dehydrogenases, a trait regulated by a set of genes on chromosome four in human DNA. Many early agrarians lacked that trait, and thus were genetically incapable of "holding their liq…

Prêmio Eço, versão Nobel.

Deu no mais importante jornal gaúcho, a Zero Hora:
"Mais um golpe no liberalismo econômico ortodoxo foi dado ontem pela Real Academia Sueca de Ciências"A frase é perfeita para o Prêmio Eço. Começa com um "mais um golpe" como se os suecos tivessem dado o sopapo final na ortodoxia. "Liberalismo econômico ortodoxo" também é uma jóia lapidada por Emir Sader e cia. E, por fim, um erro factual: o Banco Central Sueco, e não a Academia de Ciências, confere o Nobel de Economia.

Via Gustibus, Via Duke of Hazard.

Conferência sobre Desenvolvimento

O clio econ Fabio Pesavento pede para que eu divulgue o seguinte evento:

International Seminar on Development:
updating concepts, assessing practices

Local
: Auditório da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense - Rua Tiradentes, 17, Ingá, Niterói. Telefones: 2629-9735, 2629-9698.
Data: 5 de novembro de 2007

Countries with high levels of inequality and relatively low levels of economic development face the challenge of imagining a development model which is not only socially inclusive but also environmentally responsible.

In fact, available evidence points to a non harmonic relationship between economic growth, social development and responsible environmental practices. As far as the first relationship is concerned, part of the problem seems to derive from the inequality in the distribution of income and wealth, while another part stems from political economic factors that are detrimental to a plainly re-distributive public provision of goods and services. When it comes to th…

Prêmio Eço e o salário mínimo

OK, eu sei que Card & Krueger encontraram evidências de que aumentos do salário mínimo estavam associadas a expansões do emprego. Mas certamente nem mesmo eles defenderiam afirmações como essas:

"http://www.unicamp.br/unicamp/canal_aberto/clipping/abril2004/clipping040415.folha.html


O elevado desemprego enfrentado pelo país pode ser minimizado com um aumento real de 11% no salário mínimo -hoje de R$ 240 por mês-, o que significaria a injeção de cerca de R$ 50 bilhões na massa de rendimento do trabalho no biênio 2004 e 2005.
Claudio Dedecca, professor do Cesit (Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho), da Unicamp, que fez os cálculos, entende que, no curto prazo, a elevação do salário mínimo é a forma mais rápida de o país aumentar os postos de trabalho.
"Com aumento real de 11% no salário mínimo, a população vai consumir mais e, conseqüentemente, isso vai estimular a economia. Essa seria uma política factível de geração de emprego num prazo mais curto", di…

Doing Business 2008

O Brasil ocupa um deprimente 122 o. lugar. Mas o mapinha é muito legal!

Acemoglu e o valor de Hawking

Se você leu qualquer blog de economia nesta semana já sabe que o livro do Daron Acemoglu está disponível on-line. Tenho certeza que suas 1.169 páginas são excelentes e que se tornará o livro texto padrão de crescimento econômico na pós-graduação.
Contudo, eu não posso deixar de pensar no seu Valor de Hawking (VH, como decidi chamá-lo). O VH é calculado da seguinte forma:

VH=número de cópias compradas *(a/b)

a=número de cópias do livro;
b=média de páginas - de fato - lidas e compreendidas.

Por exemplo, o livro do Hawking Uma breve história do tempo vendeu 10 milhões de cópias com 200 páginas, mas o número de páginas compreendidas é alguma coisa perto de 1 (um). Portanto, seu VH= 2.000.000.000, o maior na história. De volta ao livro do Acemoglu: quantos arquivos pdf vão repousar fechados e não lidos nos nossos discos rígidos?

Duílio encontra Deirdre

Eu conheci o professor Duílio Berni faz uns 10 anos e ele ser transformou imediatamente em minha referência intelectual. Não compartilhamos interesses de pesquisa e eu acho que só entendo metade do que ele diz. Mas cada conversa me rende um ano de reflexão e os livros que ele sugeriu viraram a minha cabeça. (O breve período em que ele foi meu vizinho em Londres foi uma das melhores memórias do meu período de pos-doc).
Eu nunca encontrei a Deirdre Mcloskey, mas ela me ensinou como escrever e pesquisar. Seus papers de história econômica são ainda melhores que os de metodologia que a fizeram famosa.
Lendo o blog da Deirdre tive a surpresa de encontrar uma pergunta do Duílio. Ele quer a referência da seguinte frase da Deirdre's :
"Replete of prices and profits, acres and hand, economic science is the most measurable of all social sciences”.
Ótima frase! A Deirdre não respondeu e sugeriu ao Duílio procurar no seus papers on-line . Eu suspeito que existe um probabilidade não nula de …

Os rumores sobre o meu desaparecimento foram exagerados....

Estou de volta. Eu subestimei o tempo e energia necessários para fazer a vida voltar a funcionar no Brasil. De agora em diante, tentarei postar diariamente.
Vamos começar a semana com um post "pra cima". O gênio Scott "Dilbert" Addams escreveu sobre os economistas:
"I studied economics in college. One thing I’ve noticed is that other people who have studied economics tend to think a similar way. Some of the similarity is probably because it takes a certain kind of person to be interested in economics in the first place. But I’m convinced that the study of economics changes brains in a way I can identify after about five minutes of conversation. In particular, I think the study of economics makes you relatively immune to cognitive dissonance.

http://en.wikipedia.org/wiki/Cognitive_dissonance

The primary skill of an economist is identifying all of the explanations for various phenomena. Cognitive dissonance is, at its core, the inability to recognize and accept ot…