Pular para o conteúdo principal

O que estou fazendo...


Trabalhando com dados antropométricos, junto com o Mateus Signorini (ex-orientando e quase economista). Vejam um gráfico das alturas dos gaúchos nascidos entre 1889-1920. Os resultados finais, se tudo der certo para a gente, estarão em algum seminário perto de você. Já adianto que eles não eram altos por causa da imigração. Eram altos apesar da imigração.

Comentários

Professor;

É impressão minha ou os gaúchos foram ficando levemente mais baixinhos no início do século XX?
Isso aí. Deve ter sido a I guerra, mas a análise econométrica sugere que eles já estavam com altura estagnada antes disso.
Na argentina, os caras tb cairam de altura antes da guerra, mas cresceram durante... vai entender....
mh disse…
Metendo o bedelho (sobre o decréscimo da média de altura):

Tenta cruzar a curva da altura da população com a curva do crescimento das cidades. Talvez ajude a encontrar uma resposta. O meu chute é relativo ao consumo do leite, um dos alimentos mais importantes para o crescimento. O uso do leite para além dos primeiros anos de vida é fundamental para o crescimento. O Japão aumentou a média de altura fazendo campanha para o aumentar o consumo de leite, principalmente por crianças para além da primeira infância.

Meu chute: com o crescimento urbano e a transferência de populações do agro para a cidade, o leite, antes obtido nas próprias unidades domésticas ou por troca entre vizinhos passou a ser adquirido em leiteiro, em troca de dinheiro, o que deve ter reduzido o seu consumo e, por conseqüência, pode ter acarretado uma queda na altura média da população.

De onde vêm teus dados? Eu vi algumas fichas dos prisioneiros da Casa de Detenção (acho que era esse o nome do "cadeião" em Porto Alegre, fins do XIX, início do XX). Me espantei como o povo era baixinho. Concordando com teu estudo, a impressão que tive naquele momento é que TODO MUNDO, europeu, índio, "brasileiro", "castelhano", era muito baixinho. Homens e mulheres. E nem todos eram de origem humilde. Com raras exceções, eram muito mais baixos do que somos agora.
Valeu pelos comentários, MH!

Eu nunca li nada sobre leite, mas a queda no consumo de proteina animal (que ficou relativamente cara) deve ter tido impacto sim.
Vc viu que o paper jah estah no ar?
http://ich.ufpel.edu.br/economia/professores/monasterio/Monasterio_Signorini200807.pdf

Legal isso das alturas na cadeia de POA! Queria contactar vc, mas os teus blogs estao fechados. Vc poderia me mandar seu e-mail?
mh disse…
Vi o texto depois que fechei o comentário. Vou lê-lo.

Meu nome é Martha Hameister e eu cheguei até teu blog após um papo com o Fábio Pesavento. Manda um mail para cristovao_pereira@terra.com (assim, sem o br. é o meu caça-spam) e de lá te direciono para o quente.

Postagens mais visitadas deste blog

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.

Cuba é mais rica que o Brasil?

Um texto da internet afirma (não vou incluir o link):
"O povo daquela ilha rochosa bloqueada é mais rico que o povo do continente Brasil. Essa é uma realidade chocante e geralmente desconhecida." O autor recorre aos dados do World Bank que realmente mostram Cuba com um PIB per capita (PPP)  de US$20611 contra US$ 15893 do Brasil.
Obviamente essa estimativa está furada. É tão furada que a ONU - ao calcular o IDH- estimou outro valor que até os órgãos oficiais de Cuba acharam mais razoável:
The 2013 HDI value published in the 2014 Human Development Report was based on miscalculated GNI per capita in 2011 PPP dollars, as published in the World Bank (2014). A more realistic value, based on the model developed by HDRO and verified and accepted by Cuba’s National Statistics Office, is $7,222. The corresponding 2013 HDI value is 0.759 and the rank is 69th. A mesma fonte coloca o Brasil como tendo renda per capita de US$ 15175. Ou seja, Cuba tem a metade da renda per capita brasilei…