Como era o Brasil Império?

Todo mundo têm o direito de ser monarquista, flamenguista ou cambista.  Só não dá para ser vigarista. Esbarrei em textos sobre o Império que inventam números absurdos. Vamos aos fatos.

Aspectos econômicos:
  • O Brasil era muito pobre. Em 1872, Brasil tinha PIB per capita menor do que a Somália de hoje. Não era só que o Brasil era pobre, mas o país ficou para trás perante o resto do mundo durante o Império. Em 1820, Brasil tinha o 18o PIB per capita dos 48 países sobre os quais há dados.  Em 1870, nosso país era 42o. de 67 países. A comparação com os EUA também mostra o mesmo fenômeno: o país passou de 50% do PIB per capita norte-americano para pouco mais de 20% (Maddison).
  • Rola no submundo da internet que a Economia Brasileira era a 4a do mundo no Império. Lorota. Era a 22a do mundo. Vejam a lista:

  • Não havia equilíbrio fiscal. É verdade que o Império não era caloteiro, mas a dívida interna passou de 14 mil contos de réis (1830) para 434 mil contos (1889) (Ordem do Progresso, p 23). Além disso, veja o que aconteceu com a dívida externa:


  • O gráfico acima foi retirado do sensacional "Inglorious Revolution – Political Institutions, Sovereign Debt, and Financial Underdevelopment in Imperial Brazil", do William Summerhill: 

 
  • A capa do livro, a propósito, representa o Governo Imperial distribuindo crédito para os cafeicultores às vésperas Abolição.
  • Os preços pelo menos dobraram no Brasil entre 1830 e 1889. Nos EUA , caíram 10% e na Inglaterra, 30% no mesmo período. (Fonte: Ordem do Progresso, p. 19.)
Aspectos sociais:
  • Em 1872, 16% da população era escrava (Censo de 1872). Sempre é bom lembrar que o Brasil foi o último país do Ocidente a acabar com a escravidão. ("Ah, mas a MembroDaFamíliaReal era contra a escravidão". Nenhum mérito. No século XIX, todo mundo já se pronunciava contra a escravidão);
  • A expectativa de vida  ao nascer era de 27,4 anos (Mello, P. C. (1984). A economia da escravidão nas fazendas de café: 1850-1888. PNPE: Rio de Janeiro.)  e 85% do brasileiros eram analfabetos (Censo de 1872); 
  • Após a Lei Saraiva (1881) só 1,5% da população votou. Antes, é verdade, até que se votava bastante no Brasil, quando comparado a outros países do mundo.
  • Claro que todos os dados  aqui representados são imperfeitos. Os dados de PIB, por exemplo, são muito criticados e talvez realmente estejam subestimados. Contudo, por maiores que sejam os erros, eles não são suficientes para transformar o Brasil nessa maravilha do século XIX que os monarquistas querem pintar.

15 comentários:

Acionista25 disse...

Parabéns pelo blog!Interessante!Então com toda dificuldade pós império evoluímos,né?Porque hoje estamos numa melhor classificação em relação ao PIB.Qual o problema do Brasil ao longo dos séculos?Por quê não conseguimos evoluir como outras nações?(no século 18 tínhamos a mesma renda dos EUA e hoje a produtividade e o PIB é da ordem de 5x). Parece que só crescemos a custa de endividamento,inflação e voos de galinha,sem falar da falta de compromisso com a educação?

Leonardo Monasterio disse...

Obrigado!
Xi... rapaz, essas são as perguntas de 1 milhão de dólares. Não sei responder mesmo, mas muitas árvores já foram mortas para explicar o assunto e vale a pena mergulhar na literatura.
Abraços,
Leo.

Claudionaldo Gomes Bezerra disse...

Olá. Sou Claudionaldo Gomes Bezerra. Fui seu aluno no curso de Geografia, da UFPEL, em 1996. Lembro-me, com muito prazer, das suas aulas, dos seus ensinamentos. Eles ainda me acompanham!Hoje, sou professor da Prefeitura de Pelotas e do governo do estado do Rio Grande do Sul. Fiquei muito feliz ao ouvir seu nome e a referência à sua pesquisa sobre a relação nome / remuneração, do Ipea, quando ouvia a rádio Verdes Mares, de Fortaleza. Também li a reportagem do G1. Meus mais sinceros parabéns. Um abração. Claudionaldo.

Mário Henrique Puglialli disse...

Olá, Leo Monastério! Parabéns pelo artigo, com excelentes referências. Leo, além disso vejo que pelo menos do ponto de vista da história econômica recente(Fim do império e república) há muitos livros cobrindo esse período. Diferente de outros países. Inglaterra, por exemplo, só encontro livro que analisam a Revolução Industrial e períodos anteriores, como Revolução Gloriosa... O senhor conhece algum livro que avalia os últimos 100 anos ingleses? Principalmente século xx? Parecido com o livro do Fernando Velloso e outros: "Desenvolvimento Econômico. Uma Perspectiva Brasileira" mas à inglesa.

Desde de já agradeço muito,
Abraço,
Mário Henrique Puglialli

Leonardo Monasterio disse...

Caro Mario Henrique,

obrigado pelos comentários.
Certamente existe algum livro sobre história recente, mas não sei responder mesmo.

Genesis disse...

Muito bom, sou conservador e sempre tinha "uma pulga atras da orelha" com essa historia contada principalmente no "Brasil Paralelo", que não é uma produção horrível, mas é claramente tendenciosa, me parecendo ser por motivos religiosos.

Ezequiel Lustosa disse...

Parabenizo pela imparcialidade na apresentação dos fatos.
Mas vejo que é importante adicionar que essas dívidas aumentaram especialmente pela Guerra do Paraguai.
Os próprios gráficos mostram que tudo saiu do controle a partir de 60, quando começa a guerra.

Leonardo Monasterio disse...

Obrigado pelo comentário. Sim, a Guerra do Paraguai teve um tremendo impacto. Contudo, não podemos desconsiderá-la como se fosse uma catástrofe natural. Afinal, também foi resultado das decisões políticas do Império.

Professor Ney disse...

Colocar o Brasil como o 18º PIB (coisa que não existia na época) num ranking de 48 países em 1820 foi, no mínimo uma suposição tendenciosa, pois o Brasil ainda pertencia ao Reino de Portugal, então esse PIB jamais seria do Brasil, mas sim de Portugal.

Professor Ney disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
claudiomar disse...

Último país do Ocidente a abolir escravidão..
Pelamordedeus, porque uma mentira contada 1000 vezes é sempre levada como verdade? Mauritânia aboliu a escravidão só em 1981, quase CEM ANOS depois do Brasil...
Será se a gente pode pesquisar um pouquinho mais e parar de ficar compartilhando fake news?
Pelamordedeus

Leonardo Monasterio disse...

Claudionor,

Leia novamente. Eu escrevi "último país do Ocidente a abolir a escravidão"

Unknown disse...

Leonardo, a Guerra do Paraguai foi SIM uma catástrofe natural. Diga então quais as decisões do império que levaram um país pobre se lançar numa fortíssima campanha militar que o arrasaria por completo?

A guerra é esperada e arquitetada apenas por Solano Lopez. Aliás, é justamente essa a razão dos sucessos paraguaios iniciais: o Brasil nunca esperava que o Paraguai tivesse planos megalomaníacos (formação do "Grande Paraguai", com partes da Argentina) e se lançasse em campanha suicida, invadindo o Brasil. Toda a dinâmica pré-guerra está descrita na excelente obra do Prof Doratioto (UNB), a obra "Maldita Guerra".

Sobre escravidão, todos esquecem que os Estados Unidos, enquanto país independente, demorou mais que o Brasil para abolir a escravidão. Só o fez por meio de uma guerra civil que custou número imenso de vidas. Justamente o que o imperador sempre quis evitar. Tanto foi que a Princesa Isabel forçou uma barra para que o chefe de governo fosse trocado (sai o Barão de Cotegipe e entra João Alfredo de Oliveira) e Lei Áurea votada.

E me desculpa, mas fui buscar os dados e o PIB per capita da Somália hoje é de 434 dólares, e o do Império do Brasil em 1870 era de 713 (para valores de 1990, deve estar bem maior hoje).



Pedro Loyola Miranda

Leonardo Monasterio disse...

Caro Pedro,

Obrigado pelo seu comentário.

Não vou discutir a sua interpretação da Guerra do Paraguai como "catástrofe natural" (sic). Igualmente, me abstenho de debater a quão abolicionista era de fato o imperador.

Já sobre PIB per capita, não precisa se desculpar: você está errado. Não se pode comparar os dados do Maddison (disponível em "http://www.ggdc.net/maddison/oriindex.htm" ) com os do World Bank, que não chegam até 1870. São metodologias distintas. Eu mesmo sou crítico dos números do Maddison, mas é obrigação se ater à mesma metodologia. Eu te peço para ver a fonte dos dados que indiquei no post com seus próprios olhos.

Aquele abraço!

Daniel Andrade disse...

O Leonardo Monastério deveria estar com tanto ódio quando escreveu o texto que além de não ter sido nem um pouco imparcial,fez questão de nos chamar de vigaristas!
Engraçado é que ele estava tão preocupado em nós denegrir que acabou cometendo erros grotescos!

Começo dizendo que ele afirma que o Brazil era apenas a 22° economia do Mundo, mas mostra um gráfico em que o Brazil aparece na 19° colocação! Hehehe...

Apesar do Maddison ter feito um trabalho interessante sobre economia no Mundo, já existem uma série de novos autores refutando e provando vários equívocos no levantamento que o Maddison fez!
Por exemplo,em alguns casos sobre renda per capita, o erro chega a mais de 100%!
Isso ocorreu em dados de muitos países!
Outra informação importante é que cerca de 90% dos nossos documentos históricos foram criminosamente adulterados pelos republicanos!
Sem falar dos documentos que foram destruídos!
Em resumo, o Maddison utilizou dados fornecidos pela ONU que por sua vez foram fornecidos pelo nosso Governo Republicano!
Imagina só se iriam falar bem do nosso período imperial!

Ele disse que o fato da Família Imperial se pronunciar contra a escravidão não era mérito, pois no século 19 todo mundo fazia isso, mas esqueceu de dizer que aqui no Brasil isso não acontecia! Aliás, era uma das coisas mais raras de acontecer!
Lembrando que o Partido Republicano votou contra todas as leis abolicionistas!

Tecnologia do Blogger.