Pular para o conteúdo principal

Uma pergunta semi-inocente

Por que os que reclamam da "desindustrialização precoce" do Brasil, não reclamam da alta carga tributária para o nível da renda per capita?

Comentários

aê, Leo:
e ainda tem os igualitaristochatos, como é meu caso, que intui que preocupar-se com desindustrialização é fisiocrático, pois a economia brasileira nunca foi tão "serviços" quanto hoje. e mais: que a carga tributária não é alta, não havendo limite para ela (mais de 100% do PIB, por que não?). há duas questõe: como ela volta, se com dinheiro para os corruptos, as obras para os ricos ou não. e principalmente, como parar de cobrar impostos indiretos (que são distorcivos), substituindo-os pelos impostos diretos (que não são, pelo menos não sobre os preços dos bens e serviços de não-fatores).
DdAB
Anônimo disse…
E porque deveriam reclamar? Qual a relação entre as duas variáveis?
Caro Anonimo,

Ora, o princípio da reclamacao é que existe uma relação entre a participaao da industria e o nivel de renda per capita. Como o Brasil seria um outlier, logo a desindustrialização precoce. Pelo mesmo critério, deveriam reclamar da "estatizacao precoce" pq o brasil tem uma carga tribuária muito alta para o seu nível de renda per capita. Sacou?
Cristiano disse…
Ola Monasteiro,
Acredito que a resposta para a tua indagaçao e muito simples. Segundo alguns economistas "desenvolvimentistas" a desindustrializaçao e um fenomeno causado pela apreciaçao do cambio brasileiro. Incluvive, esses economistas devem achar que as variaveis: carga tributaria elevada, custo elevado do capital, precaria infra-estrutura rodoviaria, ferroviaria e portuaria sao variaveis "irrelevantes" para explicar o processo de desindustrializaçao tupiniquim!!!
E so nos observarmos o comportamento do nosso ministro da fazenda que cansa a nossa inteligencia quando diz que o Brasil e vitima de uma "guerra cambial"
Anônimo disse…
antes não se acreditava que tinha desindustrialização precoce. Ao menos agora até quem não acha que tenha desindustrialização levanta a bola. É um avanço.
Anônimo disse…
Ora bolas, se há o diagnóstico de desindustrialização precoce, por algum motivo é. O Leo está contribuindo com o debate ao sugerir que a alta carga tributária tb é um empecilho para a indústria. Parabéns Leo.
Paulo disse…
Um país onde um dos principais tributos (em arrecadação) é um imposto exclusivamente para produtos industrializados (IPI) não pode reclamar de desindustrialização (nem se a indústria estivesse de fato diminuindo de tamanho).

Postagens mais visitadas deste blog

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.

Cuba é mais rica que o Brasil?

Um texto da internet afirma (não vou incluir o link):
"O povo daquela ilha rochosa bloqueada é mais rico que o povo do continente Brasil. Essa é uma realidade chocante e geralmente desconhecida." O autor recorre aos dados do World Bank que realmente mostram Cuba com um PIB per capita (PPP)  de US$20611 contra US$ 15893 do Brasil.
Obviamente essa estimativa está furada. É tão furada que a ONU - ao calcular o IDH- estimou outro valor que até os órgãos oficiais de Cuba acharam mais razoável:
The 2013 HDI value published in the 2014 Human Development Report was based on miscalculated GNI per capita in 2011 PPP dollars, as published in the World Bank (2014). A more realistic value, based on the model developed by HDRO and verified and accepted by Cuba’s National Statistics Office, is $7,222. The corresponding 2013 HDI value is 0.759 and the rank is 69th. A mesma fonte coloca o Brasil como tendo renda per capita de US$ 15175. Ou seja, Cuba tem a metade da renda per capita brasilei…