Pular para o conteúdo principal

Exclaves/enclaves

Imagino que os exclaves gerem bugs imensos nos algoritmos de análise e econometria espacial. Eu mesmo já tive problemas com um dos três exclaves municipais brasileiros.
Se os exclaves subnacionais são só aporrinhação, os internacionais são bem interessantes e têm histórias para contar. Além disso, são ótimos para experimentos naturais que discutam espaço X instituições formais. Vejam o caso da cidade espanhola de Llívia, por exemplo, cercada de França por todos os lados. Ou que tal o fantástico enclave de terceira ordem (um pedaço da Índia, dentro de Bangladesh, dentro da Índia, dentro de Bangladesh) ?
Mais sobre exclaves: aqui, aquiartigo acadêmico  (belo primeiro parágrafo, a propósito).
(Pronto. Arrumei um objetivo na vida:  visitar todos os enclaves/exclasses desse mundo. Ainda não tenho roteiro, nem cronograma. Só sei que o último lugar será o quarto 212 do Hotel Claridges de Londres. Por um dia, em 1945, o quarto virou território iugoslavo.)

Comentários

Drunkeynesian disse…
Rapaz, que loucura esses Bangladesh-Índia-Bangladesh... e eu achando que resolver a crise da Europa que é difícil...
E vc viu a lenda como eles surgiram? Apostas no xadrez!
Felippe disse…
Professor Leonardo,

Peço que se possível olhe seu email, sou um aluno graduando em economia em fase de término de monografia dentro de sua área, mandei um email para você com algumas dúvidas que se você se sentir disposto a ajudar um estudante seria muito agradável.

Forte abraço.
Ok. Felippe. Vi o teu e¡mail e vou dar os meus pitacos irresponsaveis em breve. Abracos,
p disse…
Esse post de "disso dentro daquilo dentro disso" (ops) me lembrou desta interessante listinha:


http://www.elbruz.org/islands/Islands%20and%20Lakes.htm
Humberto disse…
Eu trabalho num projeto para constituir a forma jurídica de um exclave boliviano dentro do chile onde futuramente existirá um porto bi-nacional Bra-Bol;
ganham os brasileiros que acessariam o pacífico, enquanto a produção mineral boliviana contaria com um terminal próprio de escoamento, ficando livre das tarifas portuárias chilenas. Chile utiliza uma sobre-tributação diferenciada sobre o minério boliviano, que tem o efeito de desviar investimentos minerais para o seu território

Humberto
p. valeu!

Humberto, nao sabia disso! Uma ótima solucao.

Postagens mais visitadas deste blog

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.

Cuba é mais rica que o Brasil?

Um texto da internet afirma (não vou incluir o link):
"O povo daquela ilha rochosa bloqueada é mais rico que o povo do continente Brasil. Essa é uma realidade chocante e geralmente desconhecida." O autor recorre aos dados do World Bank que realmente mostram Cuba com um PIB per capita (PPP)  de US$20611 contra US$ 15893 do Brasil.
Obviamente essa estimativa está furada. É tão furada que a ONU - ao calcular o IDH- estimou outro valor que até os órgãos oficiais de Cuba acharam mais razoável:
The 2013 HDI value published in the 2014 Human Development Report was based on miscalculated GNI per capita in 2011 PPP dollars, as published in the World Bank (2014). A more realistic value, based on the model developed by HDRO and verified and accepted by Cuba’s National Statistics Office, is $7,222. The corresponding 2013 HDI value is 0.759 and the rank is 69th. A mesma fonte coloca o Brasil como tendo renda per capita de US$ 15175. Ou seja, Cuba tem a metade da renda per capita brasilei…