Exclaves/enclaves

Imagino que os exclaves gerem bugs imensos nos algoritmos de análise e econometria espacial. Eu mesmo já tive problemas com um dos três exclaves municipais brasileiros.
Se os exclaves subnacionais são só aporrinhação, os internacionais são bem interessantes e têm histórias para contar. Além disso, são ótimos para experimentos naturais que discutam espaço X instituições formais. Vejam o caso da cidade espanhola de Llívia, por exemplo, cercada de França por todos os lados. Ou que tal o fantástico enclave de terceira ordem (um pedaço da Índia, dentro de Bangladesh, dentro da Índia, dentro de Bangladesh) ?
Mais sobre exclaves: aqui, aquiartigo acadêmico  (belo primeiro parágrafo, a propósito).
(Pronto. Arrumei um objetivo na vida:  visitar todos os enclaves/exclasses desse mundo. Ainda não tenho roteiro, nem cronograma. Só sei que o último lugar será o quarto 212 do Hotel Claridges de Londres. Por um dia, em 1945, o quarto virou território iugoslavo.)

7 comentários:

Drunkeynesian disse...

Rapaz, que loucura esses Bangladesh-Índia-Bangladesh... e eu achando que resolver a crise da Europa que é difícil...

Leonardo Monasterio disse...

E vc viu a lenda como eles surgiram? Apostas no xadrez!

Felippe disse...

Professor Leonardo,

Peço que se possível olhe seu email, sou um aluno graduando em economia em fase de término de monografia dentro de sua área, mandei um email para você com algumas dúvidas que se você se sentir disposto a ajudar um estudante seria muito agradável.

Forte abraço.

Leonardo Monasterio disse...

Ok. Felippe. Vi o teu e¡mail e vou dar os meus pitacos irresponsaveis em breve. Abracos,

p disse...

Esse post de "disso dentro daquilo dentro disso" (ops) me lembrou desta interessante listinha:


http://www.elbruz.org/islands/Islands%20and%20Lakes.htm

Humberto disse...

Eu trabalho num projeto para constituir a forma jurídica de um exclave boliviano dentro do chile onde futuramente existirá um porto bi-nacional Bra-Bol;
ganham os brasileiros que acessariam o pacífico, enquanto a produção mineral boliviana contaria com um terminal próprio de escoamento, ficando livre das tarifas portuárias chilenas. Chile utiliza uma sobre-tributação diferenciada sobre o minério boliviano, que tem o efeito de desviar investimentos minerais para o seu território

Humberto

Leonardo Monasterio disse...

p. valeu!

Humberto, nao sabia disso! Uma ótima solucao.

Tecnologia do Blogger.