Pular para o conteúdo principal

Manual: uma boa notícia e um pedido

A boa notícia é que a nova edição do Manual de Sobrevivência na Universidade -  atualizada e 40% mais longa-  será publicada em papel por uma editora no ano que vem. Agradeço todas as sugestões e avaliações que o ebook recebeu enquanto estava na Amazon. (Exceto a do sujeito que deu duas estrelas e escreveu algo como "Muito útil, mas só vale a pena ler o livro uma vez". )
O pedido: eu gostaria que o livro fosse apropriado para outras áreas, além da Ciências Sociais Aplicadas. E, para isso, preciso de leitores com experiência em outros campos da vida acadêmica. Quem puder ajudar, por favor, coloque nos comentários o email e a área de atuação para que eu envie verbetes selecionados para validação e sugestões. (Sei que vai ser difícil, uma vez que a maior parte dos 38473234432 leitores do blog são da área de Economia, mas imagino que conheçam outras pessoas)

Comentários

Estou indo para PoliSci, mas meu background é em Literatura. Se puder ajudar, ajudo.
Felipe disse…
Sou da área de ciência da computação, emigrado da física. Não posso prometer nada, mas tentarei dar uns pitacos. (Meu email tá no meu perfil.)
Caros, muito obrigado!
Eu ainda vou ter que trabalhar um pouco, mas mando quando já estiver mais bem acabado.
Abraços!
leo.
pedro disse…
só pra reiterar: 'tamos aí. pode mandar quando quiser.
ricardo acosta disse…
Olá,
logo que seu MANUAL esteve em minhas mãos, li de uma vez só.
Apropriadíssimo para quem vive e viverá na academia.

ah! quase esqueci!
Vim aqui p dizer que da área das Ciências da Terra/Natureza, especial Meteorologia/Oceanografia.
E como os outors colegas, estou disposto a ajudar.

Abraço,
R.
Pedro e Ricardo,

Muito obrigado! abraços,
Leo.
André Egg disse…
Oi Leonardo,

Sou fã do livro desde o início, já uso pra aulas e não sou da área de economia. Se eu puder ser útil ficarei bem feliz. Minhas áreas de atuação são História e Artes/Música.

O email aparece pra você pelo perfil?

Abraço,
Anaximandros disse…
Léo, o uso do celular em sala de aula será uma das pautas do colegiado, que achas de tratar o tema no próxima edição. Particularmente sigo uma posição mais tolerante do que a maioria dos meus colegas. Um abraço e bom trabalho, s.
André,

Muito obrigado! Os sus comentários na Amazon foram tão bons que vc deveria ter até participação nas vendas (não se anime, pq foi muito! :-) ) Gratíssimo novamente!

Anax,
Boa, vou incluir. Abração,
Leo.
Anônimo disse…
Sou da área da Saúde e estou lendo o livro, ebook. Acho que faltou um Gráfico de Gannt para dar uma mãozinha, por enquanto...Depois eu mando mais comentários. Valeu!
Caro Anonimo "da saúde",
Muito obrigado pela sugestão. Talvez eu tenha tempo de incluir algo de gerenciamento de projetos.
Abraços,
Leo.

Postagens mais visitadas deste blog

Capitalismo de compadrio não é um problema cultural

Eu costumo dizer -  um pouco brincando- que "cultura não importa". No caso da discussão sobre o crony capitalism, no entanto, eu falo a sério: a chave está nos incentivos econômicos.
O historiador econômico Stephen Haber resume isso bem na introdução de um livro jóia sobre o assunto. A lógica é a seguinte: em termos ideais, quando há boas instituições, os empresários sabem que não serão expropriados pelo governo. Este taxa todo mundo, ganha o seu, mas não distribui privilégios. Logo, não há sentido em ser amigo do governo,  nem financiar campanhas.
Agora, quando as instituições são ruins e o poder discricionário do governo é grande, surge um dilema. Como o empresário vai investir se sabe que uma hora qualquer as regras podem mudar contra si? Sem investimento, não há o que tributar.  A solução mútua é transformar o governo em sócio de alguns empresários. Assim, cria-se um compromisso crível: o governo não vai passar a perna nas empresas de quem é "amigo" pois tem u…

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.