Capitalismo de Estado

Eu ainda estou devendo uma resenha decente do ótimo Capitalismo de Laços, do Sérgio Lazzarini. Terminei o livro e é realmente muito bom. A única coisa que ficou faltando é uma comparação dos resultados brasileiros com os internacionais. Só assim pode-se saber o quão específico é o caso brasileiro. Contudo, admito que seria uma absurdo exigir isso para um pesquisador só ou para o próprio escopo do livro.
Enfim....aí vai uma matéria da Época que tem uma tabela jóia com as várias formas de participação do estado no capital das empresas brasileiras (Obrigado ao Luiz H. Batistuta).

PS:Lá no Vietnã, para me impressionar, me contaram "Ah, aqui o Estado ainda é muito importante na economia: 37%!!!". Mal sabiam eles.

Um comentário:

... DdAB - Duilio de Avila Bêrni, ... disse...

oi, Leonardo:
well come back to civilization... vou seguir lendo, mas as primeiras sentenças já me deixaram de orelha em pé:
"A queda do Muro de Berlim parecia ter encerrado o debate sobre o tamanho do Estado na economia. Com a vitória de um sistema baseado na livre-iniciativa – o capitalismo – sobre outro baseado no planejamento estatal – o socialismo –, a conclusão era cristalina: o governo deveria limitar ao mínimo a regulação sobre as atividades privadas e cuidar (bem) dos serviços básicos, como saúde, educação, justiça e segurança."

seria mesmo cristalino que o governo se despreocupasse com a desregulação? nem a turma dos mercados contestáveis perfeitos recomenda a "irresponsabilidade", já no linguajar deles. e eu sustento a hipótese lefordiana de que quem caiu no leste foi a ditadura e não o socialismo.
DdAB

Tecnologia do Blogger.