Pular para o conteúdo principal

Adam Smith e as desigualdades inatas

Como escrevia bem, o danadinho:




Comentários

Anônimo disse…
Doutor Léo, sempre me interessei por economia mas só agora tive tempo para começar uma faculdade. Logo no começo do curso na Federal que estou estudando percebi que vai ter muuuuuita heterodoxia pela frente... Será que você poderia indicar livros para alguém que está começando na economia? Quero estudar por conta própria para não ser contaminado pelo pensamento heterodoxo kkkk

O que você recomendaria para macro 1, micro 1, etc.
Ainda é cedo para econometria porque tenho que passar pelas disciplinas de cálculo e estatística.

Se puder ajudar eu agradeço!

Olá anônimo,
Olha só, eu acho que vc deve mesmo ler os autores heterodoxos clássicos durante a graduação. Marx, Keynes e turma são gigantes e a graduação é a hora de lê-los para valer de alma aberta. (Vc vai descobrir que um monte de gente que se diz marxista, nunca leu direito).
Tem dois livros que eu sempre recomendo para quem está em Introdução a Economia: Hidden Order do David Friedman e o Peças e Engrenagens das Ciências Sociais do Jon Elster.
Boa sorte e sucesso no curso!

Abraços,
Leo
Franco disse…
Leo,
Sou calouro de economia na UFSC e seu blog foi um dos grandes motivadores a escolher esse curso. Acho que eu descobri ele a uns 2,3 anos na lista de um outro blog e hoje me da vontade de fazer pós e seguir carreira acadêmica. Quando sai a nova edição do manual de sobrevivência?

abraço

Anônimo disse…
Puxando pelo comentário do anônimo sobre ortodoxia e heterodoxia, o que acha dessa matéria:http://www.cartacapital.com.br/revista/828/catedral-em-reforma-7457.html
Anônimo disse…
Errei, na verdade era sobre esse artigo aqui:http://www.cartacapital.com.br/blogs/o-brasil-no-mundo/mitos-do-debate-entre-ortodoxos-e-heterodoxos, desconsiderar o primeiro comentário. E você pode indicar onde ler matérias de economia com menos viés? Sempre leio CartaCapital e Veja, pis tem posicionamentos ideológicos diferentes.
Olá Franco,
Poxa, fico feliz mesmo em saber que motivei vc na escolha do curso! Como vc já deve ter sacado, a Economia é muito interessante mesmo.
Sobre o Manual, a previsão da Editora é para meados de 2017. Avisarei aqui.

Caro anônimo,
Achei o texto bem fraquinho (e já foi escrito várias vezes). A propósito, de onde o autor tirou que o Stiglitz ganhou DOIS prêmios Nobel???Recomendação de leitura :
"A Miséria da Crítica Heterodoxa" do Marcos Lisboa e as réplicas.
"the death of neoclassical economics" do david colander.

Abraços,
Leo.




Postagens mais visitadas deste blog

Capitalismo de compadrio não é um problema cultural

Eu costumo dizer -  um pouco brincando- que "cultura não importa". No caso da discussão sobre o crony capitalism, no entanto, eu falo a sério: a chave está nos incentivos econômicos.
O historiador econômico Stephen Haber resume isso bem na introdução de um livro jóia sobre o assunto. A lógica é a seguinte: em termos ideais, quando há boas instituições, os empresários sabem que não serão expropriados pelo governo. Este taxa todo mundo, ganha o seu, mas não distribui privilégios. Logo, não há sentido em ser amigo do governo,  nem financiar campanhas.
Agora, quando as instituições são ruins e o poder discricionário do governo é grande, surge um dilema. Como o empresário vai investir se sabe que uma hora qualquer as regras podem mudar contra si? Sem investimento, não há o que tributar.  A solução mútua é transformar o governo em sócio de alguns empresários. Assim, cria-se um compromisso crível: o governo não vai passar a perna nas empresas de quem é "amigo" pois tem u…

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.