Pular para o conteúdo principal

A primeira indicação

O Prêmio Eço recebeu a sua primeira indicação. Um dos melhores economistas brasileiros indica um dos piores. Isto é, Alexandre Schwartsman, que tanto sofreu com as críticas da imprensa "especializada", sugere Antônio Corrêa de Lacerda.
Começo com um candidato ao Prêmio Eço que pela sua (falta de) qualificação deveria ser "hors concours":Antônio Correa de Lacerda, segundo quem um bom parâmetro para a Selic seria a taxa de juros dos papéis em reais no exterior, ao redor de 10% a.a.. Há dois erros nesta nada inocente observação:

1) Os papéis brasileiros no exterior simplesmente não pagam IR, ao contrário da Selic. Por outro lado, qualquer residente no Brasil paga, no mínimo, 15% de imposto na fonte sobre aplicações financeiras. Assim, a taxa de 12,75% (vigentes no momento do inspiriado comentário), deduzidos 15%de imposto (caso a aplicação seja feita por mais de dois anos), se torna 10,84%. Se a aplicação for feita por menos de 6 meses (alíquota de 22,5%) seu rendimento se torna 9,88%. Tirando a CPMF (que também não incide sobre transações com papéis brasileiros no exterior), o rendimento líquido da Selic fica entre 9,55% e 10,47% dependendo do prazo da aplicação. Ou seja, na hora que se computam os impostos, sobra muito pouco dos 2,75% que, segundo o Lacerda, poderiam ser cortados da Selic na semana que vem com base nas taxas dos títulos externos. Talvez porque imposto seja um tópico pouco relevante...

2) Compara-se, na profunda análise do Lacerda, a taxa de juros de um dia com papéis de 10 anos ou mais. Para manter a consistência o professor Lacerda deveria criticar ainda mais duramente o Fed. Afinal de contas, o Fed mantém a taxa de um dia a 5,25%, enquanto a taxa de 10 anos está a 4,75%; pela sua lógica o Fed deveria cortar a Fed Funds em 0,50% (mais do que o BC poderia fazer se tivesse o cuidado de incluir os impostos nas suas sofisticadas contas).

A propósito, Alexandre tem um blog: Mão Visível. Muito obrigado e fico no aguardo de novas indicações.

Comentários

zunzun disse…
This is James Phillips of zunzun.com, thank you for the reference. Do you have any suggestions for my hobby web site? Google will translate:

Este é James Phillips de zunzun.com, obrigado para a referência. Você tem alguma sugestão para meu Web site do passatempo? Google traduzirá:

James Phillips
zunzun@zunzun.com
fyi disse…
Joao Saad. Depois que ele saiu da Folha minhas manhas de segunda nao sao mais as mesmas...

Postagens mais visitadas deste blog

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.

Cuba é mais rica que o Brasil?

Um texto da internet afirma (não vou incluir o link):
"O povo daquela ilha rochosa bloqueada é mais rico que o povo do continente Brasil. Essa é uma realidade chocante e geralmente desconhecida." O autor recorre aos dados do World Bank que realmente mostram Cuba com um PIB per capita (PPP)  de US$20611 contra US$ 15893 do Brasil.
Obviamente essa estimativa está furada. É tão furada que a ONU - ao calcular o IDH- estimou outro valor que até os órgãos oficiais de Cuba acharam mais razoável:
The 2013 HDI value published in the 2014 Human Development Report was based on miscalculated GNI per capita in 2011 PPP dollars, as published in the World Bank (2014). A more realistic value, based on the model developed by HDRO and verified and accepted by Cuba’s National Statistics Office, is $7,222. The corresponding 2013 HDI value is 0.759 and the rank is 69th. A mesma fonte coloca o Brasil como tendo renda per capita de US$ 15175. Ou seja, Cuba tem a metade da renda per capita brasilei…