Loteria das Commodities, versão sec. XXI

O conceito de loteria das commodities é bem conhecido para quem estuda a história da América Latina. A idéia é que os destinos dos países dependeram muito das características do produto natural exportado: elasticidade-renda e preço, possibilidade de encadeamentos e competição mundial...Exportar bananas ou borracha é bem diferente de café ou carne.
Bem, agora o argumento da sorte volta com o grande "New Economic Geographer" Gordon Hanson (via MR) em Why isn't Mexico Rich? O azar do México teria sido que ele se especializou em bens similares aos da China. Ele escreve:
China’s size, high rate of growth, and increasing outward orientation mean that its emergence is surely changing international prices, improving the terms of trade for countries that produce its importables and deteriorating the terms of trade for countries that produce its exportables. Mexico fits squarely in the latter camp, whereas Argentina, Brazil, Chile, Colombia, and Peru fit in the former.

Um comentário:

... DdAB - Duilio de Avila Bêrni, ... disse...

aí, Leo:
ontem fiz um comentário menos circunspecto sobre "mercadorias" em meu blog. hoje, acrescento que vou dar uma olhada nestas pistas. de maneira mais circunspecta, procuro testar (com as matrizes) a veracidade das hipóteses sobre "reprimarização" da economia brasileira. parece que já falamos disto: minha intuição é que "soja tropical" não é produto primário.
DdAB

Tecnologia do Blogger.