Pular para o conteúdo principal

Grand Pursuit: the story of economic genius, minha leitura do feriado

Eu recomendo o livro da Sylvia Nassar, a autora da biografia do Nash,  para economistas e também para os demais seres humanos. Eu postei alguns trechos com as melhores fofocas no twitter e facebook. O livro é tão bacana que eu até me animei a encarar a bio do Schumpeter.

Comentários

Drunkeynesian disse…
Coincidentemente comecei a ler no fim de semana e já estou meio puto porque ela ignora Smith, Ricardo, S. Mill, etc, e começa direto no século XIX (faz referências, claro, no fim do livro provavelmente isso vai compensar a omissão). Quando terminar, escrevo minhas impressões (e aproveito as citações que você teve o trabalho de marcar, claro) :-)
O livro tem muitas lacunas ( nem poderia ser diferente) e é escrito considerando a crise de 2008. Tanto é que o ponto alto sao os debates entre guerras. Contudo, jah vale a leitura nem que seja pelas fofocas.
Anônimo disse…
Prezado Leonardo,
É a primeira vez que comento em seu blog. Sou um leitor regular, mas a timidez é meu defeito. =)
Em relação ao livro, recomendo a resenha crítica do Prêmio-Nobel-todo-poderoso Robert Solow. Me pareceu uma análise muito boa. Segue o link:

http://www.tnr.com/article/books/magazine/95492/sylvia-nasar-grand-pursuit?passthru=ZjdhNDQxNGJhNzA1YmE2NjQ2ZTJiNGEzZWI1MTQ3YTk

Bom, parabéns pelo blog. Suas dicas e comentários são muito bons.
Abraços,
Jorge

Ps: Gostaria de um conselho seu: para realizar pesquisa em História Econômica, quão rápido é preciso ler? Sei que é uma pergunta meio estranha, mas demoro muito em um único livro. E, dado minhas pretenções de pesquisas, é preciso maximizar o uso dos recursos! =) Grato!
Claro Jorge,

Muito obrigado pelas generosas palavras e pela dica. O texto do Solow parece super bom, mas eu nao consegui acessar a versao ungated. Vc sabe onde conseguir?

Sobre a questao da velocidade, eu nao sei te dizer. Eu leio muito rapido (ok, nao sou o tyler cowen), mas esqueco mais rapido ainda. Entao talvez seja melhor fazer leituras mais atentas. COmo disse o SOlow a virtude mais desejada de uma historiador economio eh a tolerancia ao pó. Abracos,
Anônimo disse…
Leonardo,
Realmente não conheço outra versão além do site ao qual me referi.
Só para complementar o rol de "críticas literárias", achei esse paper na NBER sobre o livro:

http://www.nber.org/papers/w17607

Ao que parece, ele está dando o que falar por lá.
Obrigado pela resposta. Acho que pelo jeito vou ter que fazer um cursinho de Leitura Dinâmica... =)
Abraços,
Jorge

Postagens mais visitadas deste blog

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.

Cuba é mais rica que o Brasil?

Um texto da internet afirma (não vou incluir o link):
"O povo daquela ilha rochosa bloqueada é mais rico que o povo do continente Brasil. Essa é uma realidade chocante e geralmente desconhecida." O autor recorre aos dados do World Bank que realmente mostram Cuba com um PIB per capita (PPP)  de US$20611 contra US$ 15893 do Brasil.
Obviamente essa estimativa está furada. É tão furada que a ONU - ao calcular o IDH- estimou outro valor que até os órgãos oficiais de Cuba acharam mais razoável:
The 2013 HDI value published in the 2014 Human Development Report was based on miscalculated GNI per capita in 2011 PPP dollars, as published in the World Bank (2014). A more realistic value, based on the model developed by HDRO and verified and accepted by Cuba’s National Statistics Office, is $7,222. The corresponding 2013 HDI value is 0.759 and the rank is 69th. A mesma fonte coloca o Brasil como tendo renda per capita de US$ 15175. Ou seja, Cuba tem a metade da renda per capita brasilei…