Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2009

Cáries privadas como Virtudes Econômicas Públicas

O paper começa com uma citação de Thomas e Bean (1974):
The only group of clear gainers of British trans-atlantic slave trade, and even those gains were small, were European consumers of sugar and tobacco and other plantation crops. They were given the chance to purchase dental decay and lung cancer at somewhat lower price than would have been the case without the slave trade.mas vai em outra direção, defendendo a importância do açúcar como bem de consumo de massa no começo da industrialização européia.

Via Brad Delong. Não esqueça de ler as suas notas de aula.

Índice de Whipple em R

O índice mede a preferência por números terminados em 0 e 5 em dados demográficos de idade. Joerg Baten tem usado o índice como medida de enumeramento de população históricas. Com certeza não é o jeito mais elegante, mas ai vai o código em R que acabei de escrever:
tmp1<-data[data>=23 & data<=62]
tmp2<-tmp1%%5
whipple<-(length(tmp2[tmp2==0])/length(tmp1))*500
whipple

Gráfico dos coeficientes estimados de regressão

A partir do código em R desenvolvido pelo pessoal do Tables2Graphs (veja o blog ótimo do Eduardo Leoni, um dos autores), eu pude fazer o gráfico abaixo. São os coeficientes estimados e seus erros padrão para uma regressão sobre os determinantes de altura no Rio Grande do Sul entre 1889 e 1921.

Para gráficos realmente impressionantes no R, veja aqui.

É Carnaval!!!

Se você não tem a ginga desses alemães, ainda há salvação. Você pode participar do concurso "Dance sua tese de Doutorado". Os campeões de 2009 estão aqui. Destaque para ""Cerebral activation patterns induced by inflection of regular and irregular verbs with positron emission tomography. A comparison between single subject and group analysis". Nem preciso ler o trabalho original.

Fornicar com Freiras em Bologna no século XV

Marx sobre a crise de 2008

{Suspiro} Foi-se o tempo que a gente só recebia avisos sobre crianças desaparecidas e campanhas malucas. Agora recebi esse trecho atribuído ao Marx.
"Owners of capital will stimulate the working class to buy more and more of expensive goods, houses and technology, pushing them to take more and more expensive credits, until their debt becomes unbearable. The unpaid debt will lead to bankruptcy of banks, which will have to be nationalised, and the State will have to take the road which will eventually lead to communism (Das Kapital, 1867)"Em dois segundos meu assistente de pesquisa mostrou que - como eu desconfiava - a citação é falsa. Mais uma googlada e vi que já tem gente citando essa besteira em Português. Dureza.

Kanitz para o Prêmio Eço

Cultura e Desenvolvimento

"...nós ainda sofremos com o preconceito contra os "negócios", legado dos dias em que a aristocracia e os proprietários de terra não se envolviam em nada tão vulgar quanto comprar e vender bens."
Um ótimo retrato do Brasil, não é? Devido à formação histórica do Brasil, nás criamos uma cultura não empreendedora que tem preconceito contra ganhar dinheiro e restringiu o desenvolvimento brasileiro. Maldito legado da colonização portuguesa! Ao menos isso é o que muitos dizem...
O engraçado é que o trecho acima se refere aos ingleses e não aos brasileiros! A autora, Kate Fox, convincentemente mostra que os resíduos da mentalidade aristocrática na Inglaterra de hoje ainda explicam muito do comportamento contemporâneo de todas as classes. (Tirei o trecho de Watching the English: The Hidden Rules of English Behaviour, um livro ótimo de antropologia para não-antropólogos. Recomendo fortemente.)
Meu ponto é que, da mesma forma que essa aversão aos negócios não impediu a revol…

Por que estudo francês?

Não é só por causa da música, da comida ou do turismo. Faz algum tempo, estou com uma xerox do Leroy-BeaulieuDe la colonisation chez les peuples modernes (1874) obtida na biblioteca da Unisinos. Ao que parece, foi ele quem começou com a classificação das colônias entre exploração e povoamento. (O tal Roscher parece que disse algo parecido antes. Comprei até o livro, mas desisti de aprender alemão em 1987). Como vocês sabem, via Caio Prado Jr. , essa dicotomia é ensinada em qualquer colégio brasileiro. Enfim, um dia quero escrever sobre o assunto. Tenho até um título: "Exploração e Povoamento: de Roscher a Acemoglu", o problema é fazer... Alguém se dispõe a participar disso?

(Eu tinha outro motivo para aprender a língua: ler o livro-texto do Thisse et al. de Economia Regional que eu comprei em francês, mas acabei de descobrir que saiu em inglês)

Desigualdade e Inovação nos EUA

From Our Own Correspondent é o melhor programa de rádio desde o dia em que Marconi teve um ótimo dia de trabalho. Journalistas da BBC analisam os temas contemporâneos mundo afora a partir das suas experiências pessoais. Em um programa recente, Justin Webb parte da notícia que seu filho recebeu o diagnóstico de diabetes para escrever sobre desigualdade, lucro e inovação na América.
(Aproveite e ouça esse outro sobre Fortaleza)

O Consolo da História Econômica

Brad Delong, o sábio, escreve:
...
The current recession may turn into a small depression, and may push global living standards down by five percent for one or two or (we hope not) five years, but that does not erase the gulf between those of us in the globe's middle and upper classes and all human existence prior to the Industrial Revolution.
...
The 18th Century British family could buy 17 copies of the Wealth of Nations out of its annual income. The American family in 2009 can buy 6,000 copies: a multiplication factor of 350.
...
I'm convinced that everyone I know can easily imagine how to spend up to three times their current income usefully and productively. (It is only beyond three times your current spending that people judge others' spending as absurd and wasteful.) And everybody I know finds it very difficult to imagine how people can survive on less than one-third of what they spend—never mind that all of our pre-industrial ancestors did so all the time.

Mercado para Tudo, edição cartoon

Via Mahalanobis. Mais aqui, obviamente.
Atualização: Nos comentários, Mestre Duílio faz um daqueles comentários que deixam a minha cabeça a rodar!!!