Erros de um técnico do Ipea e acertos de outro

Aqui. Errei faz quatro anos. Ah, ainda tenho outro erro mais recente aqui e, certamente, devo ter feito mais um monte de erros que seguem ocultos. Foi bem fácil para mim assumir esses erros. Afinal, ninguém leu os trabalhos e os temas não eram polêmicos.

Eu já admirava o Rafael Osório pela seriedade, produção e capacidade técnica. Agora eu o respeito ainda mais pela dignidade com que lidou com a situação. Procurou o erro, encontrou, assumiu, pediu desculpas e se puniu. Quem dos seus críticos teria dado todos esses passos?

7 comentários:

Claudio disse...

Vou promover um concurso: ache os erros ocultos do Leo Monasterio.

Leonardo Monasterio disse...

SShhhhhhhhhh
(Eu posso concorrer?)

Carlos Cinelli disse...

Muito bom, Leo.

John disse...

Tiveram que por na mídia rapidamente um fato novo pra tirar atenção da Petrobrás e nem revisaram o trabalho.

Leonardo Monasterio disse...

"Tiveram que por na mídia rapidamente um fato novo pra tirar atenção da Petrobrás e nem revisaram o trabalho"
Cara, o instituto está longe de ser perfeito, mas de fato não funciona assim.

RONALDO disse...

Muito interessante foi o efeito colateral gerado pelo "erro". Por uns dias a atenção de todos deixou de se fixar nos problemas do governo na gestão da Petrobrás. Vocês não acham que foi um alivio muito bem vindo para a Dilma? É uma verdadeira pena que tenha sido cometido por uma equipe tão envolvida no desenvolvimento do Bolsa Família.

Rafael H M Pereira disse...

Leo, tamo junto no erro #2. :)

No mais, belo post. A atitude do Rafael também aumentou minha admiração por sua postura ética.

Tecnologia do Blogger.