Pular para o conteúdo principal

Café com leite na veia e o desemprego

Eu tenho uma tese para essa aberração e  semelhantes. Elas são só o efeito colateral do baixo desemprego atual. Nos momentos de boom, os mais competentes sobem para ocupações mais exigentes e abrem espaço para menos aptos e novatos na base do setor de serviços. Dada a baixa qualificação da mão-de-obra nacional, o problema fica bem grave. 
(Eu também tenho notado uma queda na qualidade do atendimento dos restaurantes. Mas isso pode ser apenas porque estou ficando um velho ranzinza.)

Comentários

Anonymous disse…
Eu também tenho uma tese: shit happens.

sem ironia (sério)
Anônimo disse…
Prezado Leo
Tú não está ranzinza, pelo menos se o indicador for este (até acredito que sim, está ficando sim!).
Meu pai tem comércio (atendimento ao público - alimentação) e tem reclamado muito da mão-de-obra; que não presta, muito ruim, não sabem ler nem escrver, quanto mais falar!, etc...
E explico para ele que os pretendentes a estas vagas no compercio são o resto, a exclusão dos excluídos, pois aceitar trampo de 10/12h, sem feriados e sem fim de semanas por algumas merrecas de reais...só sendo muito ruim mesmo.

Nem conseguir uma vaga como pião de obra, que não trampa após as 17h, não trampa fds e nem feriados, ele consegue, logo ele deve ser(e é) muito ruim.
O reflexo: alto índice de rotatividade, absenteísmo, brigas - problemas com clientes e companheiros de trampo, e até problemas relacionados a segurança!

Portanto, sua observação faz todo sentido. Vc não está ranzinza por isto.

Brados
Martins
Shit happens, eu concordo. Mas algo deve explicar a variação nas taxas ( além de dizer que a vida não faz sentido, som e fúria, essas coisas).

Martins, vou usar a sua afirmação de que não estou ranzinza em discussões domésticas. Grato!

Paulo Simões Diniz disse…
Leo, este fenômeno que vc descreve não acontece só no setor de serviços. Trabalho em uma grande multinacional que atua na área industrial, comercial e de serviços. Os padrões de contratação tem que ser constantemente rebaixados porque falta mão-de-obra. Especificamente na área de controladoria, estamos admitindo pessoal na área contábil, em cargos iniciais, sem o preparo necessário e depois tentamos atualizar o funcionário por meio de cursos internos e externos. Até lá a produtividade cai muito.
Anônimo disse…
Visita do Lula a Cristina K. Quero ver quanto vai custar esta visitinha para o contribuinte brasileiro...
Anônimo disse…
Há quem diga que quem viajou foi o presidente de fato, enquanto o de direito ficou gerenciando a casa...

Postagens mais visitadas deste blog

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.

Cuba é mais rica que o Brasil?

Um texto da internet afirma (não vou incluir o link):
"O povo daquela ilha rochosa bloqueada é mais rico que o povo do continente Brasil. Essa é uma realidade chocante e geralmente desconhecida." O autor recorre aos dados do World Bank que realmente mostram Cuba com um PIB per capita (PPP)  de US$20611 contra US$ 15893 do Brasil.
Obviamente essa estimativa está furada. É tão furada que a ONU - ao calcular o IDH- estimou outro valor que até os órgãos oficiais de Cuba acharam mais razoável:
The 2013 HDI value published in the 2014 Human Development Report was based on miscalculated GNI per capita in 2011 PPP dollars, as published in the World Bank (2014). A more realistic value, based on the model developed by HDRO and verified and accepted by Cuba’s National Statistics Office, is $7,222. The corresponding 2013 HDI value is 0.759 and the rank is 69th. A mesma fonte coloca o Brasil como tendo renda per capita de US$ 15175. Ou seja, Cuba tem a metade da renda per capita brasilei…