Eu não precisava ouvir isso...

Hoje um conhecido professor de economia regional disse que um trabalho baseado em Myrdal, Kaldor e Verdoorn era ortodoxo.
Eu rebati, mas não debati. Ignoranssa dói.






3 comentários:

Anônimo disse...

Difícil avaliar sem saber qual o sentido da palavra ortodoxo em questão.

Provavelmente se você fosse um economista da União Soviética durante a Guerra Fria classificaria tais autores como ortodoxos. Estratégia de contenção, etc ...

Agora se for no sentido neoclássico ... paradigma Arrow-Debre ... etc

É sempre um problema essas
classificações!!! No Brasil agora tem essa moda: Neo-Desenvolvimentistas .... Novo-Social-Desenvolvimentista hehehe .. fazer o que?!

Abçs

Anônimo disse...

No meu trabalho sou chamado de ortodoxo ou de neoliberal e as razões são simplórias: 1) questiono a visão de que desenvolvimento é igual a industrialização; 2) utilizo o ferramental da micro e da macro para analisar um problema; e 3) questiono a noção de que basta ter um câmbio desvalorizado para se resolver o problema da falta de competitividade da indústria brasileira. Enfim, quando se tem Mantegas, Delfins e Neris como luminares da ciência econômica, quem pensa diferente é tachado de ortodoxo.

Leonardo Monasterio disse...

Anonimo 1:
o termo "ortodoxo" foi usado como sinonimo de "contaminado com ebola" e que nem deveriamos chegar perto. Dureza.

Tecnologia do Blogger.