Para quem reclama da vida de professor universitário

... esse texto é muito bom e tem conselhos úteis:

  • "I have not attended a faculty meeting since 1972. I found that I liked my colleagues much better if I did not listen to their silly comments in such meetings. "
  • "I used to lunch with colleagues, but I found that their continual complaints about the administration and the students soured my attitude toward the college"
  • " I do not pick up the telephone in my office, and my voice-mail message informs callers that I do not check for telephone messages."

OK, aceito que são recomendações um pouco misantrópicas (apesar de generoso com os estudantes), mas o ponto geral vale: não dá para reclamar da vida de professor.

3 comentários:

Adolfo Huanca disse...

aqui no Br o professor de universitário de pública é funcionário estável o que não creio ser bom para ciência por dificultar a entrada de paradigmas científicos emergentes.

Leonardo Monasterio disse...

Adolfo,
Valeu pelo comentário. fui prof federal por uns 10 anos. Realmente, a estabilidade é um problema, mas não acho que a sua principal consequencia ruim é dificultar a renovação.(Poderia usar argumento oposto: justamente pela estabilidade, os professores poderiam arriscar mais e serem mais inovadores.)
abraços,

... DdAB - Duilio de Avila Bêrni, ... disse...

E, em casa, a gente fala mal das empregadas domésticas, de sua falta de treinamento, enfim, de seu despreparo para assuntos decentes. Tentando corrigir estas e outras distorções da vida societária e no afã de oferecer-lhes uma vida decente, eu, myself, andei pensando que a solução de governança para os dias que correm é nomear a criança, ao nascer, professora universitária e investi-la da função de coletar dados para sua tese de PhD desde a tenra infância. [pode chamar isto de renda básica universal]

Tecnologia do Blogger.