Pular para o conteúdo principal

Neoliberal

Ótimo texto. No lugar de "neoliberal" seria melhor usar um termo menos desgastado. (Qual? Sei lá.) Concordo com todos os 9 pontos e acrescento um:
10- Deve haver uma rede de proteção social que defenda as pessoas dos riscos da vida. (Eu estou em boa companhia nesse ponto).
Via MargRev.

Comentários

Anônimo disse…
Concordo com os textos, mas como economista não posso achar que a economia está livre de outros campos como a política e nem que deva prevalecer sobre alguns campos. No caso em questão li essa matéria:http://www.cartacapital.com.br/revista/907/o-reino-unido-da-um-salto-no-escuro. E o Sam Bowman aparece na matéria dizendo que:"“Respeito muitos partidários do Brexit, mas nunca compartilhei de seu entusiasmo pela democracia. Quero liberdade e prosperidade e não abrirei mão disso para dar a meus estúpidos vizinhos mais poder sobre a minha vida. Na medida em que a UE restringe a democracia, é frequentemente para o bem, ao impedir governos de fazer coisas antiliberais. Há uma pequena chance de um Jeremy Corbyn (o líder trabalhista) ser eleito e sob o sistema britânico, ele teria poder basicamente. A UE limita esse poder, e isso é bom”." Ou seja, uma posição anti democrática somente porque o Jeremy Corbyn poderia ganhar poder democraticamente. Isso que pesa mais na minha opinião sobre os liberais ou neoliberais, andam com o livro "Caminho da Servidão" como uma bíblia, mas o usam para coisas anti democráticas no no Chile da ditadura etc. Qual sua opinião sobre isso? Uma vez achei que seu blog era muito voltado pra direita política, mas depois vi que pra você vem primeiro a CIÊNCIA na palavra "CIÊNCIAS ECONÔMICAS", e que sua posição vai pro lado mais científico da economia. Porém, nesses tempos de polarização, qual sua opinião em relação a isso - defender a liberdade e ser contra a democracia quando vai contra seus ideais? Fiz uma universidade pública estadual e sei que meu ensino de economia foi deficitário, mas tento sempre melhorar lendo material de economia, principalmente seu blog, por isso pergunto isso!
ASS: Economista do Interior
Obrigado pelo comentário e pela ótima questão.!
Eu tb concordo com a sua frase " economia não está livre de outros campos como a política e nem que deva prevalecer sobre alguns campos". O problema é que -enquanto economistas- não temos os instrumentos para tratar das questões que vc colocou no comentários. Nessas questões de política e moralidade, as ferramentas da economia são bem pouco úteis.
Ex: existe uma linha contínua entre governos totalmente autoritários e os democráticos (mesmo os democráticos fazem coisas autoritárias). Exatamente qual é o ponto em que é errado um economista liberal contribuir (e no quê) é uma questão relevante, mas não sei responder.
Desculpe não ter respondido, mas é o melhor que posso fazer.
abraços,
leo.
Anônimo disse…
Obrigado pela resposta mesmo sem ter respondido rs. Mas sei que você foca mais na palavra "ciência" em ciências econômicas pois posta assuntos relacionados a várias correntes da economia: liberal, keynesiana, econometria, economia regional etc. se eles têm fundamentos. E lebrando que economia é a única área que você pode ganhar um Nobel por ideias opostas.
Economista do Interior

Postagens mais visitadas deste blog

Capitalismo de compadrio não é um problema cultural

Eu costumo dizer -  um pouco brincando- que "cultura não importa". No caso da discussão sobre o crony capitalism, no entanto, eu falo a sério: a chave está nos incentivos econômicos.
O historiador econômico Stephen Haber resume isso bem na introdução de um livro jóia sobre o assunto. A lógica é a seguinte: em termos ideais, quando há boas instituições, os empresários sabem que não serão expropriados pelo governo. Este taxa todo mundo, ganha o seu, mas não distribui privilégios. Logo, não há sentido em ser amigo do governo,  nem financiar campanhas.
Agora, quando as instituições são ruins e o poder discricionário do governo é grande, surge um dilema. Como o empresário vai investir se sabe que uma hora qualquer as regras podem mudar contra si? Sem investimento, não há o que tributar.  A solução mútua é transformar o governo em sócio de alguns empresários. Assim, cria-se um compromisso crível: o governo não vai passar a perna nas empresas de quem é "amigo" pois tem u…

A regra dos dois desvios

Ao que parece, a regra será a minha maior (e única) contribuição ao Saber Universal. Eu a reproduzi no verbete "Brigas, críticas e debates" do meu magnum opus "Manual de sobrevivência na universidade: da graduação ao pós-doutorado" ( Atualização 2017: O livro está fora do ar porque uma segunda edição, expandida, será publicada em breve). Aí vai:

" "Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois desvios padrãode você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico." Se você não sabe o que é desvio padrão, nenhum problema. Traduzindo: nunca brigue se o adversário for muito melhor ou pior do que você em qualquer dimensão: conhecimento, ideologia, inteligência ou porte físico. Se o adversário é muito mais inteligente ou conhece muito melhor o assunto, ouça-o com atenção, faça as perguntas relevantes e aprenda. Não é vergonha. Agora, se o sujeito é burro ou ignorante no assunto, o melhor é desconsiderar. Afinal, qual é a…

Colistete e o atraso educacional brasileiro

Ficou ótima a matéria da Revista Piauí com o perfil do Renato Colistete e sobre sua tese de livre-docência (pdf).
Ele é um pesquisador sensacional, gente boa e orientador de 9 entre 10 dos novos pesquisadores em histórica econômica. Já estava no tempo de ele ter reconhecimento de um público mais amplo.
Aproveite e leia o seu blog . Quando a tese estiver on-line, eu aviso.