"Brasília não é tão ruim quanto parece"

No ótimo filme -  e bizarramente intitulado no Brasil - Creizipipol, o Dudley Moore é um publicitário surtado que passa a criar slogans sinceros. Ele bola um lema novo  para Nova Iorque. Era algo como "NYC: matamos menos gente do que ano passado".
"Brasília não é tão ruim quanto parece" seria um bom slogan. Na cidade, a diferença entre visitar e morar é imensa. Outras capitais brasileiras mostram ao visitante de cara o que é morar lá . (Já morei em RJ, SP e POA). Em Brasília, contudo, se você se hospedar em  um dos setores de hotéis e passar o dia na Esplanada terá um visão horrível da cidade. Parece que você está em uma árida distopia futuristacomunistacomarquitetosmelhoresdoqueosrussos, com um sol de rachar, serviços ruins e preços ridículos.
De perto, morando aqui, você descobre que na cidade a vida é normal, arborizada,  não é tão planejada assim e tem até boas surpresas gastronômicas.
(Sim, o DF também é mais um caso do que a literatura sobre federalismo indica: quando maior a receita de transferências do governo, pior a administração) 

Um comentário:

Claudio disse...

Provocação Weingast-McKinnoniana com Market Preserving Federalism, heim? :)

Tecnologia do Blogger.